Notícias

Polícia invade casa de um dos criadores da Terra Labs

Operação faz parte de investigação sobre criadores da plataforma que entrou em colapso recentemente.

A polícia sul-coreana invadiu a casa de um dos criadores da plataforma Terra Labs (LUNA), Daniel Shin. A operação aconteceu nesta última sexta-feira (22), e Shin é investigado pelo colapso na rede Terra, que desenvolveu a stablecoin UST, que perdeu a paridade com o dólar norte-americano.

De acordo com a Promotoria do Distrito Sul de Seul, as autoridades estiveram na casa de Daniel Shin e na sede da empresa criada por ele, a Chai Corp. O aplicativo de pagamentos foi criado por Shin em 2019, sendo uma das primeiras plataformas a integrar a terra.

Além da Chai Corp, outras duas empresas filiadas ao negócio receberam visita das autoridades. Daniel Shin é apontado como um dos fundadores da Terra Labs, e criou o projeto ao lado de Do Know.

Os dois são investigados pelo colapso na rede, que até o início de 2022 era um dos maiores protocolos com valor total bloqueado (TVL). No auge, a Terra (LUNA) acumulou mais de US$ 20 bilhões em TVL.

O colapso da rede Terra fez uma investigação ser iniciada na Coreia do Sul. Além da Chai Corp, as autoridades visitaram endereços de outras empresas que atuam no mercado cripto.

No total, a polícia sul-coreana realizou buscas em endereços de sete exchanges, como Upbit, Bithumb e Gopax. A investigação também impedirá que funcionários da Terra Labs façam viagens internacionais.

O desdobramento da investigação resultou no interrogatório de um ex-funcionário da Terra Labs. Outro fundador da plataforma cripto está sendo investigado pelas autoridades sul-coreanas, e pode responder por evasão de impostos em transações com criptomoedas.

Criador da plataforma Terra é investigado


O aplicativo de finanças Chai Corp foi desenvolvido por Daniel Shin como uma solução financeira que utilizava a tecnologia blockchain da rede Terra para movimentar criptoativos e realizar pagamentos.

A proposta do Chai era se transformar em um novo Paypal e junto com Do Know, os dois arrecadaram US$ 32 milhões para investir no aplicativo de pagamentos. Assim como Daniel Sin, Do Know é investigado pelo colapso na rede Terra.

A plataforma não conseguiu manter o preço estável da stablecoin algorítmica USTC. Dessa forma, o ativo perdeu a paridade com o dólar e caiu mais de 99%. O mesmo aconteceu com a criptomoeda LUNA, que já foi cotada acima de US$ 100, mas viu seu preço despencar para menos de US$ 0,1.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Faraó do Bitcoin declara R$60 milhões em campanha política Brasil volta a crescer e PIB sobe 0,69% em junho Quanto os bilionários brasileiros já perderam em 2022 Como o Flamengo saiu da falência para o maior orçamento do Brasil Inflação mensal na Argentina supera a anual no Brasil em Julho