Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Economia

Representantes da Indústria e banqueiros condenam atos terroristas

Repúdio a desordem e ataques ao estado democrático de direito foram unânimes pelas entidades do setor privado.

Entidades representativas de organizações empresariais, como a Confederação Nacional da Indústria (CNI),  a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), condenaram em nota os atos ocorridos em Brasília.

Para a CNI, os atos representam ataques terroristas antidemocráticos. 

Em nota, a CNI afirmou ser “veementemente contra todo e qualquer tipo de manifestação antidemocrática. Os responsáveis pelos atos terroristas devem ser punidos na forma da lei de maneira exemplar.”

A entidade reafirmou posição de que as eleições em outubro passado foram democráticas. 

Já a confederação que reúne os principais bancos do país, reforçou o papel do Estado democrático de direito: 

“Com mais de meio de século de existência, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), integrante da institucionalidade do País, repudia com veemência as agressões ao patrimônio público nacional e a violência contra as instituições que representam o Estado Democrático de Direito.”

A entidade também cobrou ações firmes contra os responsáveis.

Em suas redes sociais, outros nomes relevantes do mercado como o banqueiro Ricardo Lacerda, da BR Partners, mencionaram o caso.

Lacerda afirmou ser necessária a punição exemplar dos envolvidos no caso. Já o CEO da Natura, Fábio Barbosa, que já presidiu a Febraban, ressaltou que é preciso investigar também o despreparo da polícia em relação ao caso. 

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil Aos 85 anos, Abílio Diniz ainda inovava e apostou em cripto Apple bloqueia pornografia em Vision Pro e usuários ficam irritadíssimos Analistas aumentam estimativa de lucro do Nubank em 4x e banco sugere “calma” Terceiro homem mais rico do México tem 60% do patrimônio líquido em Bitcoin