Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Economia

Economia da China cai em deflação pela primeira vez em 2 anos

A deflação chegou para a economia da China, com os preços ao consumidor caindo pela primeira vez em mais de dois anos.

Conforme o Bureau Nacional de Estatísticas da China, o índice de preços ao consumidor (CPI) caiu 0,3% em julho em comparação com o ano anterior. Esta é a primeira queda desde fevereiro de 2021, sinalizando a entrada em deflação.

Os preços de itens essenciais, como alimentos, transporte e bens domésticos, experimentaram uma queda em julho. 

Faça parte da Comunidade BLOCKTRENDS PRO e lucre em cripto com relatórios semanais, análises diárias, sinais e lives exclusivas.

Notavelmente, os preços da carne suína caíram 26%, enquanto os preços dos vegetais diminuíram 1,5%. Além disso, o índice de preços ao produtor (PPI), que reflete os preços dos bens na porta da fábrica, também caiu 4,4% em julho em relação ao ano anterior.

Esses sinais de deflação têm gerado preocupações crescentes sobre a possibilidade da China entrar em um período prolongado de estagnação econômica, semelhante às “décadas perdidas” do Japão. 

Analistas do ING Group destacaram a evidência de deflação tanto no consumidor quanto no produtor. Algo que, reforça a noção de uma desaceleração econômica generalizada na China.

A recuperação pós-pandêmica da China desacelerou após um início robusto no primeiro trimestre, à medida que a demanda interna e externa enfraqueceu. Medidas políticas para apoiar a economia não conseguiram impulsionar a atividade. 

Além disso, a China é a primeira economia do G20 a relatar uma queda ano a ano nos preços ao consumidor desde a última leitura negativa do CPI do Japão em agosto de 2021.

China liderando desaceleração

Em contraste com a inflação paralisante que a maioria das outras grandes economias experimentou, os preços anêmicos da China são uma anomalia. 

No entanto, algumas análises sugerem que a deflação na China pode durar de seis a doze meses. Entretanto, não seguirá o histórico do Japão, onde a estagnação dos preços persistiu por grande parte das últimas duas décadas.

Em meio a esses desafios, os investidores e empresas estão se adaptando ao “novo normal”, onde o governo chinês evitará lançar grandes estímulos, optando por estímulos direcionados e medidas focadas no lado da oferta.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Mt. Gox move mais de US$ 9 Bilhões em Bitcoin após 6 Anos Donald Trump vira bitcoiner e quer conceder perdão presidencial ao criador da Silk Road Trader compra US$ 1,1 milhão em memecoin, e agora tem US$ 150 Elon Musk cria US$ 30 bilhões do nada com IA do Twitter Trader faz US$ 6.500 virar US$ 5,6 milhões com criptomoedas meme do Trump após ele falar bem do mercado