Economia

Com maior taxa de juros reais do mundo, Brasil comemora dólar a R$5

Com a bolsa brasileira conhecendo as mínimas históricas em “preço/lucro”, investidores estrangeiros tem trazido cada vez mais dinheiro para o país, levando o dólar para baixo

Poucas coisas foram tão paradoxais em se tratando de economia como o segundo semestre de 2021.

A recuperação de empresas após um ano de pandemia batia na porta. Balanços positivos, vindos de todos os setores, dominavam as divulgações de resultados.

Ainda assim, a bolsa brasileira mergulhou de 130 mil para 100 mil pontos. O motivo? Em boa medida graças a instabilidade em Brasília.

Uma batalha travada pelo governo para incluir o Auxílio-Brasil e pagamentos de precatórios, que levaria a uma medida constitucional, uma PEC, travou a pauta.

O mercado inteiro derreteu, não pelo custo, mas pela incerteza.

Para quem acompanha a bolsa de valores, a medida pode parecer óbvia. A função da bolsa é, em essência, prever cenários e se antecipar a eles. Quando uma medida de impacto fiscal promete mudar as regras do jogo, o preço custa mais caro do que a própria conta.

É como se a bolsa de valores vivesse em um mundo contrário, onde a fatura não importa tanto, mas a incerteza sobre ela sim.

Fato é que, com empresas tendo resultados recordes, commodities subindo e o dólar também, a bolsa brasileira ficou barata.

Medida em “Valor de mercado/lucro”, a bolsa brasileira saiu de 21 vezes, o que significa que o valor de mercado das empresas é 21 vezes maior que o seu lucro, para 6 vezes, entre dezembro de 2020 e outubro de 2021.

Ao redor do planeta começaram a circular casos surrealistas, como Petrobras e Vale, as maiores empresas do mercado brasileiro, que lucraram 15 e 18% do seu valor de mercado ao ano.

Trata-se de um número extremamente baixo, afinal, se investir é uma questão de longo prazo, como pode duas empresas entregarem todo valor investido em meros 5 anos?

Casos como estes levaram o investidor estrangeiro a olhar com atenção o Brasil.

O investimento em bolsa em janeiro de 2022, por parte de estrangeiros, chegou a R$33 bilhões. Em 12 meses, o Investimento Externo Direto, somou $47 bilhões líquidos.

Há mais dólares entrando do que saindo do país, e o dólar, claro, segue “derretendo”. Após cair quase 44% durante a pandemia, o real sobe 7% em relação ao dólar neste ano.

É possível até mesmo ver o real abaixo de R$5.

Mas afinal, o quão sustentável é essa situação?

Um questão não mencionada aqui ainda diz respeito aos juros.

Em resumo, juros são o preço do dinheiro ao longo do tempo. Com o Banco Central brasileiro levando os juros de 2% para 10.75% ao ano, o resultado foi uma completa inversão de cenário.

Investir em dívida brasileira se tornou lucrativo. Já investir em produção passou a custar mais caro.

Empresas de tecnologia, que dependem de dinheiro para continuar crescendo a taxas aceleradas, sofreram enormes quedas. O mesmo acontece nos Estados Unidos, com exceção, claro, de empresas já consolidadas como Apple, Amazon, Google e Microsoft.

No Brasil, porém, as Techs desabaram, e outras empresas também sofreram queda com o investidor Pessoa Física retirando dinheiro da bolsa, e de fundos, para comprar títulos públicos.

Diversos fundos no país sofreram quedas significativas. Foram raros os que tiveram efeito positivo, como é o caso dos fundos de cripto, como o QR Blockchain Assets, que superou os 130% em 2021 por estar em ativos globais e não sujeito a volatilidade dos juros brasileiros.

O cenário atual, porém, é fruto de um desconto no preço da bolsa brasileira, mas há alguns fatores que podem ser positivos a longo prazo.

O resultado fiscal do governo foi bastante positivo, prova de que o mercado exagerou ao bater nos ativos por medo de incertezas em Brasília. Governos estaduais tiveram o melhor resultado na década em superávit primário, ajudando a compensar o ainda deficitário governo federal.

Isso é um sinal de que os juros podem não precisar subir tanto.

Com resultados de reformas recentes, como saneamento, ferrovias e setor elétrico, é possível que investimentos ajudem a reduzir a inflação.

Mas tudo isso, claro, são h

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Como era o Brasil no ano da conquista do penta Como Elon Musk transformou $28 mil em $330 bilhões Binance fecha acordo com Cristiano Ronaldo para promover NFTs O quanto a gasolina aumentou em cada governo Engenheiro da Google diz ter criado uma robô com alma