Economia

Real é a moeda emergente que mais se valorizou em 2022, Peso argentino a que mais perdeu

Uma série de fatores tem atraído investidores estrangeiros para a bolsa brasileira e surpreendido positivamente no câmbio.

Em janeiro de 2022, investidores estrangeiros alocaram R$37,4 bilhões na bolsa brasileira, com uma pressão compradora que fez o dólar cair cerca de 4,8% e a bolsa subir 6,98%.

Para os estrangeiros, a bolsa brasileira está barata, com empresas relevantes no índice como Petrobras e Vale, apresentando múltiplos para lá de atrativos.

Na prática, com a alta de preço no petróleo e minério de ferro, Vale e Petrobras negociam a 6 vezes o seu lucro para 2023, um múltiplo poucas vezes visto.

O valor é relevante em especial pelo momento de alta de juros no exterior.

Com juros mais altos, o que é a expectativa para os EUA neste ano, investidores começam a mirar empresas com alto potencial de gerar caixa e lucro, e apostam menos em empresas cujo objetivo é crescimento, como as empresas de tecnologia.

Este cenário tem atraído investidores que veem a bolsa brasileira bastante descolada em relação ao resto dos países do G20.

Na prática, os “gringos” consideram que a bolsa apanhou em excesso no segundo semestre de 2021, quando a incerteza fiscal fez a bolsa encostas nos 100 mil pontos e sofrer uma queda significativa.

No mesmo período, empresas brasileiras apresentaram lucros significativos, mostrando que o investidor estava dando valor demais à confusão em Brasília, e de menos aos fundamentos.

A alta nas exportações também tem ajudado a puxar o dólar para baixo, ainda que em menor grau em relação ao investimento externo por aqui.

Logo mais ao sul, porém, a situação segue instável. A Argentina foi o país com a pior moeda emergente.

A incerteza em relação ao cenário fiscal, além da renegociação de dívida com o FMI, tem afastado investidores por lá. E em um cenário que “já era ruim”, ficou pior, tendo em vista que com a alta da inflação global, a chance de a Argentina resolver sua inflação já crônica diminui.

O peso argentino cai 3,6% em 2022, perdendo inclusive para a Grívnia da Ucrânia e a Lira turca.

O real brasileiro, a melhor moeda emergente, segue um pouco acima do Rand Sul-africano (+5,6%) e do Peso chileno (+4,7%).

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta