Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

ETF da Bitwise é o primeiro com endereço de Bitcoin público; veja saldo

O anúncio feito em seu perfil do X levou um tom de comemoração. “Hoje o ETF Bitwise Bitcoin (BITB) se torna o primeiro ETF bitcoin dos EUA a publicar os endereços bitcoin de suas participações.”

A Bitwise disponibilizou nesta quarta-feira (24) seu endereço de Bitcoin referente ao seu ETF à vista BITB. Portanto, qualquer um com acesso à internet agora pode verificar quantos Bitcoins a empresa tem em sua posse, em tempo real. Trata-se de uma forma extra de auditoria, onde qualquer indivíduo no mundo consiga participar. Portanto, a importância da tecnologia é trazida à tona por especialistas no setor.

Nesse sentido, o anúncio feito em seu perfil do X levou um tom de comemoração. “Hoje o ETF Bitwise Bitcoin (BITB) se torna o primeiro ETF bitcoin dos EUA a publicar os endereços bitcoin de suas participações.”

A empresa reitera que agora qualquer pessoa pode verificar as participações e fluxos do BITB diretamente no blockchain. “A transparência onchain é fundamental para o espírito do Bitcoin. Estamos orgulhosos de fazer o mesmo com o BITB. [Divulgações e prospecto da BITB”, diz.

O anúncio é uma novidade porque as transações nas “prime brokers”, corretoras onde os investidores compram e vendem cotas do ETF, acontecem “offchain”. Mas os fundos para lastrear as ações são negociados on-chain. Já há alguns endereços em rastreamento, contudo apenas a Bitwise é oficial.

Até o momento, o total de Bitcoins recebidos nesse endereço é de exatos ‎11.858,63598043 BTC, com um total de 0 Bitcoins enviados do mesmo endereço. Além disso, também é possível checar se a carteira possui algum satoshi raro, menor unidade de Bitcoin. Um satoshi raro seria referente a um utilizado nas primeiras transações, por exemplo. Nesse caso, a Bitwise não tem nenhum satoshi de colecionador.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Nada vai fazer o Bitcoin parar, diz Michael Saylor. Entenda a tese da ‘alta infinita’ Antonio Ais, ‘Toin’ da Braiscompany, é preso na Argentina Bitcoin decola 50% em fevereiro. Ainda vale a pena comprar? BlackRock, maior gestora do mundo, começa a oferecer ETF de Bitcoin na B3 Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil