Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Notícias

Blaze é investigada, e influenciadores também

Em maio deste ano atrás o influenciador empresário Daniel Scott afirmou ter visitado o endereço onde a Blaze teria sua sede.

Neste domingo (17), o “Fantástico” da TV Globo trouxe à tona denúncias envolvendo a casa de apostas Blaze, investigada por fraude. Desse modo, segundo a reportagem, a plataforma, conhecida pelo “jogo do aviãozinho”, está sob investigação policial por suspeitas de fraude.

Nesse sentido, a reportagem especial do programa investigou a participação de celebridades na promoção de jogos de azar da plataforma, que enfrenta acusações de práticas fraudulentas e calotes há pelo menos um ano.

Entre na comunidade BLOCKTRENDS PRO com 15% OFF e receba +20 cursos, análises diárias, relatórios semanais, lives e mais.

Diversos influenciadores famosos, como Rico Melquiades, Mel Maia, Viih Tube e Carlinhos Maia, foram mencionados na reportagem como indiretamente responsáveis pelas suspeitas de golpes. Carlinhos Maia se defendeu, alegando que, apesar de fazer publicidade dos jogos, a decisão de apostar cabe aos seguidores.

A Polícia Civil de São Paulo confirmou que a Blaze está sendo investigada, com foco no “Jogo do Aviãozinho”. A Justiça já bloqueou R$ 100 milhões da empresa. O jogo, considerado ilegal no Brasil, consiste em um avião que aumenta o valor da premiação, e o apostador deve decidir quando parar antes que a palavra “Crashed” apareça.

Vítimas relataram ao “Fantástico” suas experiências negativas com a plataforma. Uma delas afirmou ter ganho mais de R$ 100 mil, mas só conseguiu sacar R$ 20 mil, enquanto outra teve R$ 98 mil removidos de sua conta após a Blaze alegar fraude.

A reportagem também destacou a dificuldade em responsabilizar a Blaze, que não possui sede ou representantes legais no Brasil. Os advogados da empresa argumentam que, por ter sede em Curaçao, a atividade não constitui infração penal no Brasil.

Apesar dos apostadores serem brasileiros. Contudo, a Justiça brasileira continua investigando as operações da empresa no país.

Empresário já visitou sede da Blaze

Mesmo assim, em maio deste ano atrás o influenciador empresário Daniel Scott afirmou ter visitado o endereço onde a Blaze teria sua sede. Contudo, mostrou não ter achado a sede. A postagem viralizou no X, antigo Twitter.

Nesse sentido, Scott afirmou que o local era para estar a Prolific Trade, empresa que opera a Blaze. Contudo, ao que parece a Prolific Trade é operada pela Trustmoore, uma shell company.

Alguns influenciadores, como Viih Tube e Juju Ferrari, informaram que encerraram seus contratos com a Blaze após tomarem conhecimento das denúncias. Jon Vlogs, através de sua assessoria, afirmou que tem contrato com a Blaze desde 2021, mas apenas como influenciador, sem participação acionária.

Outros influenciadores citados, como Rico Melquiades, MC Kauan, Mel Maia e Juju Salimeni, não responderam aos pedidos de comentário da reportagem. Além disso, a reportagem não mencionou outros influenciadores como Felipe Neto, Neymar Jr. e Diogo Defante, que também já realizaram publicidade para a Blaze.

A reportagem do “Fantástico” ressaltou que todos os influenciadores mencionados estão sendo investigados pela polícia. Viih Tube confirmou que foi intimada pela polícia no sábado, 16 de dezembro, o que a levou a romper o contrato com a Blaze.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Ancord e BlockTrends lançam primeira Certificação em Criptoativos do Mercado Financeiro e de Capitais Donald Trump Agora Possui US$ 30 Milhões em Memecoins DOG é listada na Bybit e atinge máxima histórica pelo segundo dia consecutivo DOG, memecoin no Bitcoin, atinge nova máxima histórica Investidor lucra mais de US$180 mil (154.724%) com bug de Berkshire Hathaway