Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Notícias

Porque a regulação de apps é uma grande vitória das empresas

As empresas teriam que contribuir diretamente ao INSS. Desse modo, inclusive, livrando-se de riscos judiciais ao repassar custos para a entidade pública.

O governo Lula vai enviar ao Congresso um projeto de lei complementar para regulamentar o trabalho dos motoristas de aplicativos. Nesse sentido, a ideia é criar remuneração mínima e direitos trabalhistas para motoristas de aplicativos, como Uber e 99, sem enquadrar a relação na CLT. De fato, a regulação de apps foi uma imensa vitória, mas para as empresas.

A regulação foi uma grande vitória para as empresas, que são reconhecidas como intermediadoras e não empresas de transporte. Portanto, pagam menos imposto no Brasil, e agora os riscos judiciais serão bastante reduzidos.

Embarque em mais de 150 horas de conteúdo exclusivo sobre o universo das criptomoedas e blockchain na Plataforma BlockTrends.

O projeto de regulação dos apps surgiu após diversas negociações, que duraram 10 meses, entre o Ministério do Trabalho e representantes dos aplicativos no Brasil. Em outras palavras, a proposta criaria a figura do “trabalhador autônomo por plataforma” 

Portanto, o acordo garante uma remuneração mínima e direitos à Previdência Social. As empresas teriam que contribuir diretamente ao INSS. Desse modo, inclusive, livrando-se de riscos judiciais ao repassar custos para a entidade pública.

Além disso, o acordo também acaba estabelecendo uma “remuneração máxima” ao estipular uma carga horária limite ao trabalhador autônomo. A carga de hora limite é de 8 horas, e pode ser estendida para até 12. Contudo, apenas se houver permissão do ‘Sindicato dos Ubers’.

Coloca na conta do sindicato

Nesse sentido, a Proposta de Lei Complementar (PLC) da regulação de apps aborda a sindicalização dos trabalhadores do setor. Com isso, vai criar-se a categoria profissional específica para os “motoristas de aplicativo de veículo de quatro rodas”.

Isso significa que não haverá uma relação de exclusividade entre os trabalhadores e as empresas. Por outro lado, vai exigir que as negociações coletivas ocorram por meio de sindicatos.

Portanto, a regulação vai retirar diversos riscos das plataformas, e atribuir às entidades sindicais estas grandes responsabilidades. Como por exemplo, a negociação coletiva, a assinatura de acordos e convenções coletivas. E, principalmente, a representação dos trabalhadores em demandas judiciais e extrajudiciais.

As empresas, por sua vez, ao saírem de responsabilidades importantes, se comprometem a fornecer vale-refeição diário aos motoristas cadastrados. Mas somente a partir da sexta hora de trabalho diário. Além disso, também estão acordados a pagarem planos médicos, e odontológicos.

Piso de remuneração, mas teto também

No que diz respeito à remuneração, estabelece-se um piso por hora trabalhada de R$ 32,09, dividido entre o valor pelo serviço e os custos do trabalhador. Entretanto, é importante notar que muitos, por serem autônomos, faziam uma renda bastante acima do salário mínimo.

Mas, com aprovação da lei, a base de remuneração será justamente o salário mínimo. Portanto, será calculado pela hora efetivamente trabalhada desde a aceitação da corrida até a chegada ao destino do passageiro.

Garante-se também que nenhum motorista receberá menos que valores mínimos estipulados por saída, por quilômetro e por minuto, variando de acordo com a categoria do serviço.

Além disso, será incluída a contribuição previdenciária obrigatória ao INSS de 27,5%, com as plataformas recolhendo 20% e os trabalhadores, 7,5%. Por fim, em casos de banimento do motorista do aplicativo por infrações leves, ele poderá retornar à plataforma após uma reciclagem comprovada junto ao sindicato. Vale complementar que, a contribuição paga o INSS será apenas sobre 25% do faturamento bruto.

Para infrações graves ou gravíssimas, o motorista terá o direito de apresentar sua defesa no sindicato. Esta, por sua vez, receberá análise de uma junta paritária de membros do sindicato e da empresa. Este acordo representa um avanço significativo no bolso das empresas de aplicativo, trazendo mais segurança e justiça para todos os empresários das plataformas.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Pela primeira vez em 15 anos, todos bilionários com menos de 30 anos são herdeiros. E isso é ótimo para o Bitcoin Alguém lembrou de 50 centavos em BTC guardados em 2010. Agora valem US$3,3 milhões Por que o Bitcoin está caindo tanto nesta sexta-feira (12) Quanto valem as criptomoedas de Times Brasileiros Golpe faz investidores perderem R$1,3 milhão em 2 minutos em criptomoeda