Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Nubank adiciona Solana, Aave e Bitcoin Cash para negociação

Contudo, a fintech ressalta a importância de conhecer a fundo sobre a proposta de tecnologia por trás de cada um dos ativos antes de investir neles.

A Nubank, fintech de banco digital, adicionou nessa semana três novos criptoativos para negociação em sua plataforma: Solana (SOL); Aave (AAVE) e Bitcoin Cash (BCH). O blog oficial da comunidade do Nubank compartilhou a novidade.

“Animados pra saber qual foi o resultado da nossa enquete? Então, bora lá ver quem acertou. Com 46% dos votos as 3 novas moedas que irão fazer parte do portfólio de Nu Cripto serão: Solana, Bitcoin Cash e Aave. Até o final da semana, essas três criptomoedas estarão disponíveis para todos os clientes”, anuncia.

Para chegar a essas três moedas, a equipe da Nubank afirma ter feito uma análise detalhada dos projetos. Contudo, a fintech ressalta a importância de conhecer a fundo sobre a proposta de tecnologia por trás de cada um dos ativos antes de investir neles.

“Dada à natureza altamente volátil das criptomoedas, todo ativo pode apresentar riscos ainda que se trate de uma cripto consolidada, então encorajamos que você também faça sua própria pesquisa e entenda se essas oportunidades fazem sentido para a sua carteira”, diz.

Em publicação anterior ao anúncio, a comunidade do Nubank fez uma enquete. A proposta foi de que os membros adivinhem os três próximos ativos anunciados posteriormente. A comunidade do Nubank é bastante utilizada para tirar dúvidas sobre criptoativos, sejam eles listados na plataforma ou não.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Nada vai fazer o Bitcoin parar, diz Michael Saylor. Entenda a tese da ‘alta infinita’ Antonio Ais, ‘Toin’ da Braiscompany, é preso na Argentina Bitcoin decola 50% em fevereiro. Ainda vale a pena comprar? BlackRock, maior gestora do mundo, começa a oferecer ETF de Bitcoin na B3 Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil