Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Ethereum vai superar o Bitcoin em 2024, aponta JPMorgan

O relatório também prevê que o Ethereum poderá “superar” o Bitcoin em 2024, apontando para a atualização EIP-4844 “Protodanksharding” como um possível catalisador.

O JP Morgan adotou uma postura cautelosa em relação a uma possível alta do mercado de criptoativos no próximo ano. Nesse sentido, em um relatório recém-publicado, os analistas liderados por Nikolaos Panigirtzoglou afirmaram que o evento de halving do Bitcoin já está “largamente precificado”. O relatório também prevê o famoso “flippening”, quando o Ethereum passaria o Bitcoin em valor de mercado.

Portanto, para o banco de investimentos, o efeito do halving sobre o fornecimento de Bitcoin é “previsível e, em nossa opinião. Já está bem incorporado ao preço atual do bitcoin”. A equipe argumentou que, com base na taxa de hash e na dificuldade de mineração atuais do Bitcoin, o custo de produção para os mineradores aumentaria. O aumento seria de cerca de US$ 22.000 atualmente para cerca de US$ 44.000 após o halving.

Com o preço atual do Bitcoin em torno de US$ 42.000, isso é consistente com uma queda de 5% na taxa de hash pós-halving, o que “parece muito baixo”. A equipe antecipa uma queda de 20% na taxa de hash e a saída do mercado de mineradores com custos operacionais mais altos.

Desde o halving de 2020, que trouxe o preço do Bitcoin para uma proporção de 1:1 com o custo de produção dos mineradores. E com o preço atual do Bitcoin em torno do dobro do custo de produção, isso implica que o halving de 2024 já está em grande parte precificado, sugeriu o relatório.

Ethereum pode superar o Bitcoin

O relatório também prevê que o Ethereum poderá “superar” o Bitcoin em 2024, apontando para a atualização EIP-4844 “Protodanksharding” como um possível catalisador. Contudo, expressou preocupações sobre a centralização do staking na rede Ethereum.

O relatório aconselhou que é “cedo demais para se animar” com um renascimento da atividade DeFi e NFT em Ethereum e outros. Enquanto apontava para o “aumento encorajador” de novas cadeias DeFi, incluindo Aptos, SUI e Pulsechain. Além disso, um “interesse renovado” em NFTs impulsionado pelo surgimento dos Bitcoin Ordinals.

Os analistas do JP Morgan também expressaram ceticismo de que a tão esperada aprovação de um ETF de Bitcoin à vista traria novo capital para o mercado. O relatório citou a falta de interesse dos investidores em ETFs à vista já aprovados no Canadá e na Europa.

Além disso, citou a probabilidade de que o capital se desloque para ETFs de Bitcoin à vista de produtos existentes. Como o Grayscale Bitcoin Trust (GBTC), ETFs de futuros de Bitcoin e empresas de mineração de Bitcoin.

O relatório argumentou que até US$ 2.7 bilhões poderiam sair do GBTC após sua conversão para um ETF de Bitcoin à vista. Desse modo, o movimento ocorreria à medida que os investidores realizassem lucros. Se esses fundos saíssem do mercado em vez de se moverem para outros instrumentos de Bitcoin, isso colocaria “pressão descendente severa” no preço do Bitcoin, disseram os analistas.

Por fim, o relatório do JP Morgan surge uma semana após o CEO da empresa, Jamie Dimon, criticar as criptomoedas em uma audiência do Comitê Bancário do Senado. Dizendo que ele “fecharia” as criptomoedas se fosse o governo dos EUA. Dimon afirmou que, “O verdadeiro caso de uso para [cripto] é criminosos, traficantes de drogas, lavagem de dinheiro, evasão fiscal”, acrescentando que, “Eu sempre fui contra cripto, Bitcoin, etc.”

Ethereum Bitcoin Flippening
(Imagem: DALLE-3)

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil Aos 85 anos, Abílio Diniz ainda inovava e apostou em cripto Apple bloqueia pornografia em Vision Pro e usuários ficam irritadíssimos Analistas aumentam estimativa de lucro do Nubank em 4x e banco sugere “calma” Terceiro homem mais rico do México tem 60% do patrimônio líquido em Bitcoin