Economia

ETF Russo na B3 vira febre e investidores pagam caro para comprar bolsa russa em queda

ETF de empresas russas negociado na B3 custa até 50% mais do que o seu valor real quando convertido para euro.

A explosão do número de ETFs na bolsa brasileira foi um dos fenômenos do ano de 2021. A quantidade de fundos de índice negociados em bolsa saltou ao menos 3x no ano, com a bolsa ganhando ETFs temáticos como o de empresas chinesas, ou o QBTC11, primeiro ETF de Bitcoin da B3.

Agora, em meio a guerra entre Rússia e Ucrânia, investidores brasileiros têm apostado em uma forma de se expor às empresas russas cujo valor de mercado têm derretido com a imposição de sanções.

O ERUS, um ETF de propriedade da MSCI (Morgan Stanley Capital International), reúne as principais empresas da MOEX, o “Ibovespa russo”.

O MOEX Index, assim como a bolsa russa, não está em negociações devido a “feriados bancários” no país, em uma das medidas adotadas pelo governo de Vladimir Putin para tentar conter a erosão do mercado financeiro no país.

Na busca por comprar o ETF russo ERUS e se expor à bolsa russa, investidores têm comprado o BERU39, na bolsa brasileira.

O BERU39 é um BDR, um certificado de depósito brasileiro, que equivale a ¼ do ERUS. Em suma, 4 BERU39 = 1 ERUS.

Cotado em euro, o ERUS é negociado hoje a R$44, já o BERU39 é negociado por R$15,7.

Na prática, investidores brasileiros estão pagando R$15,7 por um ativo cujo valor equivale a R$11. A Aposta, claro, é de que assim como a queda, a recuperação do índice também possa ser rápida.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.