Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

De US$ 32 bilhões à zero; relembre a trajetória de Sam Bankman-Fried na FTX

No momento, Sam Bankman-Fried está detido em uma prisão no Brooklyn, Nova York. Ele aguarda julgamento preso, após ter sua fiança de vários milhões de dólares revogada por suposta manipulação de testemunhas.

De magnata das criptomoedas a figura central de um dos maiores escândalos financeiros da década. O julgamento de Sam Bankman-Fried, fundador da falida FTX, começa nesta terça-feira (3).

Quase que do dia para a noite, o “jovem bilionário de bermuda”, Sam Bankman-Fried, fez seu nome no mundo das criptomoedas. Bankman-Fried foi o fundador da FTX, uma das maiores e mais respeitadas bolsas de criptomoedas do mundo, até novembro de 2022.

Entre na comunidade BLOCKTRENDS PRO com 15% OFF e receba +20 cursos, análises diárias, relatórios semanais, lives e mais.

Com uma filosofia baseada no “altruísmo eficaz”, Bankman-Fried buscava não apenas lucrar, mas também fazer a diferença no mundo, segundo ele dizia em suas diversas entrevistas. Sob sua liderança, a FTX atraiu bilhões em investimentos, e solidificou sua posição como uma potência no setor. O bilionário fez fortuna rápido, e saiu na capa da de revistas como People e Forbes.

A forma “humilde” com que se vestia, de bermuda e chinelo sempre, sempre atraíram olhares para Sam Bankman-Fried. Isso porque, o ex-CEO já tinha um apartamento de US$ 40 milhões nas Bahamas e administrava um império de criptomoedas avaliado em $32 bilhões. A FTX sozinha, já chegou a ser avaliada em US$ 25 bilhões.

Nesse sentido, a FTX foi uma empresa propagada por celebridades como Gisele Bündchen, Tom Brady, Stephen Curry, Naomi Osaka, David “Big Papi” Ortiz, e o Shark Tank Kevin O’Leary.

A queda de Bankman-Fried

No entanto, em outubro de 2021, uma série de eventos começou a desvendar o império de Bankman-Fried. Ele renunciou inesperadamente à sua posição na Alameda Research, um fundo de hedge de criptomoedas intimamente ligado à FTX.

Para muitos, isso foi visto como uma tentativa de separar sua imagem entre as duas entidades. Vale ressaltar que a CEO da Alameda, Caroline Ellison, também era a namorada de Sam Bankman-Fried na época.

Contudo, um tempo depois, um artigo do site CoinDesk em novembro de 2022 lançou dúvidas sobre a integridade financeira da Alameda. A reportagem revelou que ele tinha uma grande quantia de seus ativos em tokens FTT, a moeda nativa da FTX, e em outras moedas associadas a Bankman-Fried.

Após isso, o desespero fluiu pelo mercado, e ocorreu uma fuga em massa de investidores da FTX, levando a empresa à beira do colapso. Desse modo, em meio à turbulência, Bankman-Fried tentou manter uma fachada de normalidade, assegurando ao público que a FTX estava em boa saúde financeira.

Nessa época, a FTX suspendeu todos os saques, e o preço de seu token FTT despencou. Bankman-Fried renunciou ao seu cargo na FTX, e a empresa declarou falência. Apenas um mês depois, Bankman-Fried foi preso nas Bahamas, enfrentando acusações graves de crimes financeiros.

Atualmente, a FTX está em processo de reestruturação, comandado por John J. Ray III. O advogado é especializado em casos de falências abruptas como o da FTX, e tenta pagar os clientes. Além disso, existem outros processos, como o coletivo contra as celebridades que fizeram propaganda para a FTX.

No momento, Sam Bankman-Fried está detido em uma prisão no Brooklyn, Nova York. Ele aguarda julgamento preso, após ter sua fiança de vários milhões de dólares revogada por suposta manipulação de testemunhas.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Mt. Gox move mais de US$ 9 Bilhões em Bitcoin após 6 Anos Donald Trump vira bitcoiner e quer conceder perdão presidencial ao criador da Silk Road Trader compra US$ 1,1 milhão em memecoin, e agora tem US$ 150 Elon Musk cria US$ 30 bilhões do nada com IA do Twitter Trader faz US$ 6.500 virar US$ 5,6 milhões com criptomoedas meme do Trump após ele falar bem do mercado