Investimentos

Como Kanye West saiu da falência para os $6,6 bilhões em patrimônio vendendo tênis

Após cancelar sua turnê em 2016, Kanye West passou por uma transformação pessoal que seria crucial em garantir sua “volta por cima”

Foi em 2016 que Kanye West usou o Twitter da única maneira que parece aceitável naquela rede social: reclamar da vida. No caso de Kanye, a reclamação eram suas enormes dívidas que somavam $53 milhões de dólares.

Seus gastos mirabolantes ao longo dos anos anteriores levaram o Rapper a enfrentar um paradoxo não tão incomum entre celebridades americanas, a falência.

Nomes como Nicolas Cage, Mike Tyson, Donald Trump e 50 Cent são outros que já estiveram por lá.

No caso de Kanye, porém, o que chama atenção é o quão rápida foi sua recuperação.

Tendo começado sua carreira em 2000, o Rapper ganhou destaque cedo, mas nunca escondeu que sua verdadeira paixão estava em um outro setor: a moda.

Em 2007, junto à marca japonesa A Bathing Ape, seu primeiro calçado.

Sua confiança e gosto pela área o levaram a aproveitar uma oportunidade não usual, quando no mesmo encontrou o CEO da Nike, Mark Parker, em um voo comercial. Kanye West apresentou a ele um esboço desenhado a mão, no que Parker, mostrando interesse, o direcionou para o designer da empresa, Tinker Hatfield, o mesmo que criou os tênis Air Jordan.

Em 2009 nasceu a Yeezy, empresa da qual Kanye West é proprietário, e que lançaria seus tênis pela Nike.

Segundo Kanye, porém, a Nike possuía alguns problemas em torno de marcas de artistas. A despeito de possuir o mais famoso co-branded da história, o Air Jordan, a marca não pagava royalties as celebridades que davam cara aos seus produtos.

Por conta disso, o rapper levou sua marca para a Adidas em 2013, em um acordo muito mais favorável.

Problemas pessoais que o levariam a cancelar turnês e ficar completamente fora do cenário artístico, sendo internado em um hospital em Los Angeles, o levariam a encarar a pior fase, seja na vida pessoal ou em termos financeiros.

Sua reviravolta teria começado, segundo Kanye, em boa medida graças a seu apego religioso. Seus valores cristãos foram cruciais para resgatá-lo de uma depressão profunda, além de outros problemas como bipolaridade e TDAH.

De volta aos palcos, Kanye impulsionou suas marcas na medida em que seu sucesso enquanto cantor crescia.

Em documentos revelados durante seu divórcio com a também self-made bilionária, Kim Kardashian, foi revelado que sua marca em parceria com a Adidas renderia cerca de $191 milhões anuais em royalties.

Nos cálculos da Bloomberg, a marca possui um valor de mercado de $3,3 bilhões, considerando um faturamento anual de $1,7 bilhões de dólares em vendas.

A marca ainda possui parcerias com outras empresas, como a GAP, que renderiam segundo fontes, cerca de $941 milhões em vendas.

Outros ativos de Kanye, como aqueles detidos em marcas criadas por sua ex-esposa Kim, além do catálogo musical, agregam outros $1,7 bilhão de dólares.

No total, Kanye possui uma fortuna avaliada em $6,6 bilhões, tornando-o o afro-americano mais rico dos EUA.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta