Blockchain

O desbloqueio de milhares de Bitcoins da Mt. Gox podem colapsar o mercado?

A exchange japonesa, hackeada em 2014, volta a “atormentar” o mercado cripto.

Para os mais recentes neste mercado, uma breve explicação sobre o que é e o que foi a Mt Gox e de onde são esses 137 mil Bitcoins.

Mt. Gox foi uma exchange de criptomoedas com sede em Tóquio que operou entre 2010 e 2014. Foi responsável por mais de 70% das transações de Bitcoin em seu pico. 

Durante aquele período a exchange presenciava um nível de atividade mais alto que supostamente conseguia sustentar, em sua estrutura. Como consequência disso, diversos ataques hackers foram efetuados contra a exchange, que também passava por diversos bugs internos. 

A exchange sofreu um golpe fatal em fevereiro de 2014, quando suspendeu saques após alegar ter encontrado atividades suspeitas em suas carteiras. Descobriu que havia “perdido” centenas de milhares de Bitcoins. Os relatórios da época apontam cerca de 850.000 moedas roubadas.

Cerca de 200 mil moedas foram recuperadas, mas de acordo com a Glassnode, estão no balanço aproximadamente 137 mil, a espera de serem liberados aos quase 24 mil credores e clientes que foram impactados na época. 

Mais recentemente, no dia 6 de julho a Mt.Gox publicou uma nova atualização sobre o pagamento de seus credores em uma correspondência oficial. Afirmaram “Plano de reabilitação” e a preparação dos reembolsos aos clientes/credores lesados.

De acordo com o próprio documento, os reembolsos estão previstos para ocorrerem a partir do final de agosto e durarão até o completo ou parcial pagamento dos valores que estão bloqueados. Na época o que valia cerca de $500 mil, hoje, na cotação do Bitcoin, ultrapassa os $18 bilhões.

Mas será que todos estes bitcoins serão de fatos “dumpados” no momento que forem recebidos pelos seus credores?

Aqui é onde alguns comentários devem ser feitos:

1. Estes Bitcoins são de investidores/especuladores que entraram no mercado em 2013/2014 ou antes. Isto significa que são de indivíduos que aguardaram mais de 8 anos, enquanto acompanhavam todo o desenvolvimento do Bitcoin neste período. Será que estas pessoas não vivenciaram o suficiente para saber do potencial do Bitcoin após diversos ataques, FUDs, Bear Markets, e outros? 

2. De acordo com algumas sondagens feitas na internet (e aqui carece de rigor estatístico), a maior parte destes indivíduos quer receber seu Bitcoin de volta e não sua FIAT de volta.

Aqui podemos até especular que mais da metade dos indivíduos que poderão receber Bitcoin até o final do ano pretendem vender 0%. Mesmo assim, ainda temos cerca de 30% que poderá vender metade ou tudo que receber.

O que volta à questão do ponto 1, estes clientes venderiam durante o período de baixa?

De fato, não temos como saber com exatidão quantas pessoas venderão quando receberem, muito menos a data que poderiam vender.

Mas os rumores acerca da Mt Gox estão no mercado a mais de 8 anos, o FUD gerado pelo desbloqueio já foi vivenciado diversas vezes. Agora, o risco é real e não deve ser ignorado. Muitos destes Bitcoins podem de fato serem vendidos, uma vez que estes investidores já acumulam uma alta rentabilidade.

Ao meu ver, outros catalisadores mais imediatos podem trazer mais pressão vendedora para o mercado. Recentemente tivemos o resultado da inflação norte-americana, por exemplo.

Por isso, é mais benéfico observar os fatores globais neste momento e, caso você esteja ainda preocupado com o possível “dump” que pode ocorrer após a liberação destes Bitcoins, deixo neste link um alarme já configurado na plataforma CryptoQuant para que seja avisado quando qualquer movimentação começar a ocorrer no balanço atual nas carteiras da Mt Gox.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.