Economia

Monopoly da vida real: A nova estratégia de Elon Musk

Expandindo sua influência para o meio das mídias sociais, Elon Musk joga uma espécie de ‘Monopoly da vida real’ em 2022.

Se você acompanha o Twitter, nessa semana o nome de Elon Musk com certeza passou pela sua timeline em algum momento.

No primeiro momento, o assunto era a aquisição de 9,2% do Twitter por parte de Musk, tornando-o o maior acionista passivo da rede social e membro do conselho administrativo da empresa.

Agora, em um segundo momento, Musk é assunto devido a divulgação do ranking de bilionários por parte da Forbes, no qual pela primeira vez, ele ocupou a primeira posição, com uma fortuna de $219 bilhões.

Em fato, sua fortuna já chegou a ultrapassar a barreira de $300 bilhões, feito que até anteriormente jamais foi reproduzido por nenhum empreendedor.

Na ativa em diferentes mercados desde o século passado, Musk expandiu sua influência em níveis que talvez jamais tenham sido observados no mundo.

Exploração espacial, indústria automobilística, energia solar, mobilidade urbana, mercado de pagamentos, neurociência e mídias sociais são alguns dos setores dos quais Musk teve/tem contribuições.

Não por menos, esse longo catálogo fez com que Musk fosse eleito como a pessoa do ano em 2021 pela revista Time, entrando para lista de empreendedores como Jeff Bezos e Mark Zuckerberg que já figuraram na capa da revista.


Entre os diferentes planos extremamente ambiciosos de Musk, que anos atrás foram alvos de piadas e risadas mundo afora, objetivos como a colonização de Marte estão se tornando cada vez mais próximos com o passar dos anos. 

Tornar os humanos uma espécie multi-planetária talvez seja o desafio deste século, e para isso, Musk já apresentou avanços imprescindíveis para a indústria espacial.

Fundada em 2002, a SpaceX revolucionou a exploração espacial, reduzindo em 90% o custo base de se enviar um foguete em órbita, se tornando unanimidade no setor e recebendo diversos contratos da NASA.

Junto com a SpaceX, um projeto chamado Starlink ganhou destaque com a proposta de criar uma constelação de satélites que provêm acesso à internet de forma uniforme em todo território terrestre.

Em um intervalo de menos de 2 anos, a empresa de um setor que há anos atrás era inexplorado pela iniciativa privada apresentou um crescimento de 170%, sendo avaliada em mais de $100 bilhões.

Já com a Tesla, Musk transformou a noção sobre veículos elétricos, tornando-os velozes e símbolos de status social. A empresa líder no segmento de elétricos desenvolveu uma espécie de ‘’Toyotismo moderno’’, quebrando sucessivos recordes de produção e criando as famosas ‘’Gigafactorys’’ ao redor do mundo.

Com essa proposta, a Tesla se tornou a maior montadora de veículos do mundo, desbancando sem precedentes empresas seculares que dominaram o setor por sucessivas décadas.

Em todos os estágios primários de seus empreendimentos, a incerteza sobre o setor reinou sobre a visão comum, momento no qual a habilidade visionária de Musk se sobrepôs ao senso de investidores referenciados em todo o mundo dos negócios, como Charlie Munger.

Tudo isso fez com que o sucesso de empresas relacionadas a Musk se tornasse dogma para alguns investidores, como diria Peter Thiel com sua famosa frase ‘’Never bet against Elon Musk’’, ditado parafraseado da frase original de Warren Buffett ‘’Never bet against America’’

Agora, expandindo sua participação para mais um setor, com a aquisição de parte do Twitter, Musk aparenta estar jogando o popular jogo infantil de tabuleiro chamado Monopoly.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta