Notícias

iFood lista três criptomoedas promissoras e fala sobre bitcoin

Portal do aplicativo de entrega fala sobre mineração, bitcoin e negociação de moedas digitais.

O portal de notícias do iFood divulgou recentemente uma lista com “três criptomoedas promissoras para conhecer”. De acordo com o aplicativo de delivery, a elrond (EGLD), avalanche (AVAX) e the sandbox (SAND) representam uma boa oportunidade de investimento.

O texto “Criptomoedas: o que são e de onde elas vêm?” traz um panorama sobre o mercado cripto publicado pela primeira vez pelo iFood. No entanto, o aplicativo não pretende adotar moedas digitais como forma de pagamento.

Em comunicado enviado ao BlockTrends, o iFood afirma que não tem iniciativas voltadas para criptomoedas. Além de listar três criptomoedas promissoras, o texto do aplicativo fala sobre bitcoin (BTC), ether (ETH), binance coin (BNB), cardano (ADA) e litecoin (LTC).

Três criptomoedas promissoras


Segundo o iFood, é possível indicar criptomoedas promissoras no mercado através da análise diária de informações sobre a cotação. O aplicativo menciona que a elrond é uma das moedas digitais mais promissoras do mercado cripto pela promessa de “acabar com alguns problemas na blockchain”.

Enquanto isso, a avalanche foi escolhida pelo iFood por apresentar taxas baratas para transações. O texto apresenta dados sobre a composição da rede da criptomoeda, além da escalabilidade do projeto.

“Uma das maiores vantagens é sua transação ser mais barata. Além disso, diferente de outras criptomoedas, a Avalanche se destaca por sua velocidade, escalabilidade e sua rede. Por fim, ela possui vantagens em sua programação e é composta por três blockchains.”

A terceira criptomoeda promissora da lista do aplicativo de entregas é a the sandbox. Com uma tecnologia voltada para o conceito de metaverso, o iFood explica que até a Tesla já utiliza a the sandbox, que possui um sistema que integra pagamentos no universo digital.

“The SandBox possui uma tecnologia muito promissora para as criptomoedas. Dessa forma, sua plataforma permite que as negociações sejam feitas no metaverso. Assim, empresas como a Tesla, por exemplo, já utilizam o sistema.”

O texto publicado pelo iFood explica ainda sobre como funciona a mineração e a negociação de criptomoedas em exchanges e P2P. A abordagem geral traz também informações sobre a declaração de criptomoedas no imposto de renda.

Embora o iFood não tenha planos de integração com criptoativos, está crescendo a adoção de moedas digitais em aplicativos no Brasil. Recentemente, o Nubank começou a negociar criptomoedas, e o PicPay vai fazer o mesmo. Sendo assim, o aplicativo financeiro avalia criar uma exchange e uma stablecoin pareada com o real brasileiro.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.