Blockchain

Em meio a tentativas de banimento, Índia aprova ETF de Bitcoin e Ethereum

Com o governo em meio a tentativas de banir transações em cripto, o órgão regulador do mercado indiano aprovou em uma sandbox o lançamento de 2 ETFs, de Bitcoin e Ethereum.

Segundo maior país do mundo em população, a Índia tem se tornado também um dos maiores do mundo quando o assunto é Cripto.

Estima-se que entre 15 e 20 milhões de indianos estejam investindo em Cripto hoje, com cerca de $5,6 Bilhões em ativos “holdados”.

Ainda assim, o governo de Narendra Modi, prevê dificultar a vida de investidores indianos com uma legislação mais firme sobre exchanges e outros meios de transação.

O governo deve enviar em janeiro uma lei para o parlamento que, estima-se, possa equivaler a um banimento de Criptos na Índia.

Legislações do tipo têm sido impostas também pelo RBI, o banco central indiano, que ordenou em 2018 que os bancos não aceitassem transações de empresas ligadas ao setor cripto.

Em julho de 2020 a suprema corte do país suspendeu o banimento, alegando que feria práticas de livre concorrência. Nos 12 meses seguintes à revogação, o número de investidores em cripto cresceu 681% no país.

Na outra ponta, as empresas Cosmea Financial Holdings e Kling Trading, receberam aval para operar dois ETFs, um de Bitcoin e outro de Ethereum.

Os ETFs de futuros se diferenciam dos ETFs com compra spot, como o brasileiro QBTC11, que adquire bitcoins diretamente.

A prática de comprar futuros foi a escolhida também pela SEC, o órgão regulador americano. Na prática, os ETFs de futuros funcionam como “fundos de papel”, adquirindo direitos de compra e venda de bitcoins ou ethereums, sem nunca adquirir de fato.

No caso americano, o ETF “Bito”, da ProShares, atingiu uma capitalização de $1 bilhão em apenas 2 dias, demonstrando a demanda pelo ativo.

Um ETF que adquira o ativo spot ainda não tem previsão de ser aprovado nos EUA, restando apenas dois países com ETFs do tipo no mundo: Brasil e Canadá.

O que é o Bitcoin?

O Bitcoin é a primeira e maior criptomoeda do sistema financeiro global e traz consigo uma estrutura caracterizada principalmente pela sua altíssima complexidade. Mesmo assim, entender o Bitcoin e seus propósitos não é uma tarefa difícil.

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Como era o Brasil no ano da conquista do penta Como Elon Musk transformou $28 mil em $330 bilhões Binance fecha acordo com Cristiano Ronaldo para promover NFTs O quanto a gasolina aumentou em cada governo Engenheiro da Google diz ter criado uma robô com alma