Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Tether irá converter 15% do seu lucro de US$6 bilhões em Bitcoin

A Tether Holdings anunciou hoje que irá converter 15% do seu lucro, estimado em US$6 bilhões anuais, em Bitcoin.

A Tether, companhia responsável pela moeda de maior circulação no mundo hoje, anunciou que irá converter periodicamente 15% de seu lucro em Bitcoin. Com US$8 trilhões em transações em stablecoins, a dona do USDT, com 63% de market share, espera reforçar sua confiança no Bitcoin com a medida.

A empresa anunciou recentemente seu relatório de resultados do primeiro trimestre fiscal de 2023. A Tether apontou um lucro de US$1,5 bilhão, ou US$6 bilhões anualizado. A Tether Holdings Limited, também apontou um excedente de US$2,4 bilhões em relação aos passivos (os USDT em circulação).

Faça parte da Comunidade BLOCKTRENDS PRO e lucre em cripto com relatórios semanais, análises diárias, sinais e lives exclusivas.

O lucro do trimestre recente implicou um aumento superior a 100%, ante os US$700 milhões no final de 2022. A companhia atribui os ganhos ao aumento da taxa de juros americana, além de uma maior adoção de Stablecoins.

Após uma alta de 531% em 2021, as stablecoins cresceram outros 85% em 2022, com a Tether liderando o processo.

O que são stablecoins

As stablecoins são criptomoedas lastreadas em outras moedas. Em síntese, o lastro ocorre em uma moeda “fiat”, sendo o dólar a mais usual.

No caso do USDT, a cotação é de 1 USDT = US$1. Essa prática tem permitido transferir recursos em grande volume a custos e tempo menor. Em outras palavras, com as stablecoins é possível realizar grandes remessas internacionais sem depender dos dias para autorização do SWIFT.

As stablecoins têm sido um caminho de salvação em países com moedas instáveis, como por exemplo, a Argentina e a Turquia.

Restrições impostas por governos como o argentino a compra de dólares, acabam incentivando a adoção. Na Argentina, estima-se que 6% da população já utilize stablecoins.

Impacto no Bitcoin

A valores de hoje, os 15% prometidos pela Tether equivalem a cerca de US$900 milhões ao ano. Neste momento, são emitidos 6,25 Bitcoins a cada 10 minutos, ou 315 mil Bitcoins por ano. Já em maio de 2024, após o halving, a oferta cairá para 160 mil Bitcoins por ano.

Em outras palavras, se o preço do Bitcoin continuar no nível atual, a Tether poderia sozinha abocanhar 1 em cada 4 Bitcoins minerados em 2024.

Ao BlockTrends, o fundador da SmartPay, Rocello Lopes, mencionou que “A medida é importante dada a escala da Tether, que transciona trilhões de dólares por ano. A Tether está reforçando com isso sua visão positiva sobre o Bitcoin no longo prazo”. Ainda segundo Rocello, cuja empresa é parceira da Bitfinex no desenvolvimento de soluções utilizando USDT, “A medida implica também uma garantia extra para o o USDT”

Como uma stablecoin faz dinheiro?

Oferecendo uma solução para transações internacionais, as stablecoins tem sido amplamente utilizadas. Na prática, empresas como a Tether acabam sendo remuneradas de duas formas.

A Tether Holdings controla hoje ao menos US$64 bilhões em depósitos. Estes depósitos por sua vez estão mantidos em títulos do Tesouro Americano, além de outros ativos mobiliários. A empresa então recebe os juros destes recursos. Igualmente, ao permitir transações internacionais a taxas muito menores do que as usuais, é possível que algumas stablecoins adotem spreads sobre o câmbio.

Em suma, as stablecoins trabalham em modelo similar aos grandes bancos para realizar transações de câmbio.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Mt. Gox move mais de US$ 9 Bilhões em Bitcoin após 6 Anos Donald Trump vira bitcoiner e quer conceder perdão presidencial ao criador da Silk Road Trader compra US$ 1,1 milhão em memecoin, e agora tem US$ 150 Elon Musk cria US$ 30 bilhões do nada com IA do Twitter Trader faz US$ 6.500 virar US$ 5,6 milhões com criptomoedas meme do Trump após ele falar bem do mercado