Economia

Preço do bitcoin enfrentará dois grandes desafios nessa semana

Anúncio do FED e balanço trimestral de big techs deve influenciar mercado cripto nos próximos dias.

O mercado financeiro global se prepara para uma semana de grandes desafios que podem refletir no preço do bitcoin. Nos próximos dias, o FED dos EUA deve anunciar um novo aumento na taxa de juros, e grandes empresas de tecnologia (big techs) devem anunciar o balanço do último trimestre.

A política de elevação da juros dos Estados Unidos tem reverberado no preço do bitcoin e outras criptomoedas. Em janeiro de 2022, por exemplo, o mercado cripto perdeu quase R$ 700 bilhões em capitalização logo após um anúncio do FED que elevou os juros.

Nos últimos meses, a elevação da taxa de juros influenciou negativamente o preço do bitcoin no mercado. Esse aumento atrai investimentos para produtos financeiros de renda fixa ao mesmo tempo que afasta investidores de ativos de risco como o bitcoin.

FED dos EUA e o bitcoin


Entre os dias 26 e 27 de julho de 2022, o FED dos EUA pode anunciar um novo aumento na taxa de juros. De acordo com o analista on-chain do BlockTrends, Cauê Oliveira, um novo acréscimo de 0,75 bp é esperado.

Dessa forma, Cauê Oliveira avalia que a nova taxa de juros servirá como um teste para o preço do bitcoin. A próxima reunião do FED também deve sinalizar se a política de elevação da taxa de juros será mantida por mais tempo.

“O anúncio sobre a decisão da próxima elevação, que neste momento é esperado 0.75 bp, pode trazer mais informações sobre o quão longe podemos ir dentro de um ambiente de contração monetária e redução de demanda.”

O FED tenta controlar a inflação norte-americana elevando a taxa de juros, e forçando a redução na demanda no mercado. O analista on-chain do BlockTrends orienta que a manutenção dessa política de aumento pelo FED pode resultar em menos investimento no bitcoin.

“Se a decisão for acima do esperado, poderemos ver um impacto negativo de curto prazo e entenderemos que o FED estará ainda mais inclinado a continuar forçando uma redução na demanda como forma de reduzir a inflação norte-americana. Este tipo de redução de demanda, diminui a propensão ao crédito, alavancagem e investimentos como um todo, isto significa menor fluxo de capital entrando no mercado cripto também.”

Big techs preparam fechamento trimestral


Além de sofrer influência da taxa de juros, o preço do bitcoin pode apresentar forte correlação com o mercado de ações, principalmente de empresas que são consideradas big techs.

Sendo assim, além do anúncio do FED dos EUA, nesta semana big techs divulgarão seu balanço trimestral. Nesta terça-feira (26), a Microsoft e o Google (Alphabet) apresentarão os dados sobre o balanço da empresa nos últimos três meses.

Enquanto isso, o Meta (Facebook) divulgará o balanço na quarta-feira (27) e a Apple apresentará seus resultados na próxima quinta-feira (28). Uma redução nos ganhos dessas empresas pode influenciar o preço do bitcoin.

Cauê Oliveira lembra que existe uma forte correlação do preço do bitcoin com a bolsa norte-americana. Assim como o anúncio do FED, o balanço trimestral das big techs será desafiador para o mercado cripto.

“O bitcoin é altamente correlacionado com a bolsa norte-americana, em especial com empresas de tecnologia. Muitos gestores de ativos acabam transacionando bitcoin como uma empresa de tecnologia, neste caso de uma precificação negativa nestes ganhos, bitcoin acabará sofrendo indiretamente.”

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Faraó do Bitcoin declara R$60 milhões em campanha política Brasil volta a crescer e PIB sobe 0,69% em junho Quanto os bilionários brasileiros já perderam em 2022 Como o Flamengo saiu da falência para o maior orçamento do Brasil Inflação mensal na Argentina supera a anual no Brasil em Julho