Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Empresas de mineração de Bitcoin sobem mais até que o próprio Bitcoin com ‘efeito pré-halving’

À medida que nos aproximamos do próximo halving em 2024, as taxas de transação de Bitcoin em alta estão impulsionando os mineradores, na esperança de que taxas continuamente elevadas possam compensar a queda nas recompensas por bloco.

As ações de empresas de mineração de Bitcoin, como a Marathon Digital Holdings e a Riot Platforms, valorizaram no ano de 2023 até mais que a própria criptomoeda que mineram. Nesse sentido, a Marathon e a Riot observaram retornos de mais de 800% e 400%, respectivamente. Enquanto isso, o Bitcoin sobe 156%, a MicroStrategy e a Coinbase mais de 300%.

A mineração de Bitcoin é um processo intensivo de energia. No qual os mineradores usam máquinas especializadas para validar transações na blockchain do Bitcoin. Desse modo, por seu trabalho de validar a rede, recebem pagamentos em forma da moeda digital.

Marathon sobe com expectativa de ETF

O mercado de ações está em alta. Entre os motivos, estão as empresas de mineração de ativos digitais expandindo operações para aumentar a produção de Bitcoin. A expansão segue a expectativa de que a demanda pela criptomoeda dispare se os reguladores dos EUA permitirem que fundos negociados em bolsa (ETFs) a mantenham diretamente.

Além disso, à medida que nos aproximamos do próximo halving em 2024, as taxas de transação de Bitcoin em alta estão impulsionando os mineradores, na esperança de que taxas continuamente elevadas possam compensar a queda nas recompensas por bloco.

Analistas da Bloomberg Intelligence preveem que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) aprovará um ETF de Bitcoin à vista nas próximas duas semanas. Segundo dados do Yahoo Finance, a empresa de capital aberto viu mais de 105 milhões de ações negociadas nas últimas 24 horas, superando empresas de grande porte como Tesla, Apple e Amazon.

A Riot Platforms anunciou recentemente grandes compras de máquinas de mineração. A Marathon, a maior mineradora em termos de poder computacional, adquiriu instalações adicionais para aumentar a eficiência da mineração. Portanto, trata-se de uma grande mudança em sua política de longa data como uma empresa de mineração com poucos ativos.

As ações da Marathon aumentaram por 11 sessões consecutivas de negociação, mais do que triplicando para US$ 31,07. Quando o Bitcoin atingiu seu recorde histórico em novembro de 2021, a ação estava sendo negociada por mais de US$ 80.

Por fim, no pregão de ontem (27), a Marathon liderou o aumento, com volumes de negociação aumentando, atingindo impressionantes 105,657 milhões, superando até mesmo a atividade da Tesla no pregão. Ainda no pregão de ontem, as ações da Marathon subiram para US$ 31,07, marcando um aumento de 15,24%.

Se a alta continuar, as ações de mineração podem enfrentar maior pressão de compra e um “short squeeze”, dizem analistas, elevando ainda mais os preços.

Empresas de mineração dominam o mercado

Além disso, oito das trinta e cinco principais ações negociadas até o dia 27 de dezembro estavam relacionadas à mineração de Bitcoin. Ontem, o mercado de ações refletiu um aumento no interesse dos investidores em ações relacionadas ao Bitcoin, antecipando possíveis aprovações de ETFs.

As ações das empresas de mineração de Bitcoin dispararam. Assim, superando os ganhos da criptomoeda em meio à expectativa de uma iminente aprovação de um ETF de Bitcoin à vista.

Além disso, para todas as ações acima do limite de capitalização de mercado de US$ 100 milhões, a Marathon terminou o dia (incluindo negociações após o fechamento) em segundo lugar, atrás da Niokola. Este comportamento otimista ofuscou o desempenho do Bitcoin, que viu um aumento mais modesto de 3% durante o horário de negociação nos EUA.

Bitfarms (BITF), TeraWulf (WULF) e Riot Blockchain (RIOT) também testemunharam um aumento de negociação considerável. As empresas de mineração de Bitcoin observaram volumes de negociação combinados de cerca de 148 milhões de ações negociadas. Nesse sentido, cerca do dobro do volume médio para as ações.

Bit Digital (BTBT), CleanSpark (CLSK), Canaan (CAN) e Cipher Mining (CIFR) completaram a lista dos principais desempenhos, com aumentos de 18,57%, 14,40%, 5,28% e 5,82%, respectivamente. Essas empresas também experimentaram volumes de negociação significativamente mais altos do que suas médias recentes, mostrando o alto interesse do mercado.

Portanto, as 35 principais ações (com capitalização de mercado superior a US$ 100 milhões) registraram um volume total de 1,45 bilhão de ações negociadas. Dessas ações, 372 milhões estavam relacionadas à mineração de Bitcoin, o que representa cerca de 25% das ações negociadas nesse segmento.

O aumento nessas ações destaca o interesse mais amplo do mercado no espaço do Bitcoin e o desejo de obter exposição a ações com beta potencialmente alto para os iminentes ETFs de Bitcoin à vista. Este movimento e os dados de negociação do dia sugerem um mercado repleto de expectativa e de olho atento no horizonte regulatório.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com



Bitcoin decola 50% em fevereiro. Ainda vale a pena comprar? BlackRock, maior gestora do mundo, começa a oferecer ETF de Bitcoin na B3 Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil Aos 85 anos, Abílio Diniz ainda inovava e apostou em cripto Apple bloqueia pornografia em Vision Pro e usuários ficam irritadíssimos