Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Investimentos

Banco Inter anuncia negociações de cripto

O Inter, banco digital com 26 milhões de clientes, anunciou que irá oferecer acesso aos clientes para compra de cripto, como Bitcoin.

Com 25 milhões de clientes, o Banco Inter anunciou que irá passar a oferecer acesso a cripto para os clientes. A novidade é parte da Inter Invest, a plataforma de investimentos do banco. Até agora, a Inter Invest possuía apenas fundos, como da Vitreo e Hashdex.

O anúncio é parte de uma expansão da corretora, que possui hoje 3,3 milhões de clientes ativos. A Inter Invest possui ainda R$66 bilhões em ativos sob custódia. Em princípio, o Inter dará acesso apenas a Bitcoin, Ethereum, Tether, Litecoin e Ripple.

A oferta de negociações em criptoativos por bancos digitais têm sido feita de maneira ainda tímida. Na prática, os bancos ainda buscam entender a situação regulatória. Há cerca de 1 ano, o Nubank liberou negociações em cripto. Em poucas semanas o banco atingiu 1,4 milhão de clientes. Dados do primeiro trimestre deste ano, porém, apontam que os clientes do Nu possuem apenas R$135 milhões em cripto.

O Nubank também anunciou a pretensão de lançar uma criptomoeda própria. Em suma, o NuCoin será parte de um programa de fidelidade do Nu.

A oferta de criptoativos também está disponível para clientes da XP, BTG e no Picpay.

A escolha do Inter pelo momento atual, após a principal criptomoeda ter feito um fundo de US$16 mil (contra US$30 mil atuais), também se justifica. O objetivo, segundo o Inter, foi o de lançar o produto em um momento mais calmo, com experiências já testadas.

Fidelidade e praticidade para o cliente é o foco do Inter

Fidelidade também a motivação para o Inter lançar este produto. Nesse sentido, o banco espera ajudar clientes que já investem em cripto, a concentrar seus investimentos na plataforma do Inter.

Ao BlockTrends, o diretor da Inter Invest, Felipe Bottino, destacou a importância do parceiro (a B3 Digitais), na decisão. Segundo ele “A escolha do parceiro foi muito focada na questão de risco, evitar problemas de cauda que algumas empresas vivenciaram recentemente. Sendo uma empresa do grupo B3, uma empresa com muitas décadas de experiência e reputação no segmento de custódia e infraestrutura para negociação de ativos, é sem dúvida um fator de conforto adicional.

Ainda segundo Bottino, “A ideia é evoluir a oferta de novas moedas, mas sempre de forma muito cuidadosa em relação a liquidez e possíveis riscos. Nossa ideia é ter uma oferta completa das principais moedas do mercado mas com bastante critério.”

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Nada vai fazer o Bitcoin parar, diz Michael Saylor. Entenda a tese da ‘alta infinita’ Antonio Ais, ‘Toin’ da Braiscompany, é preso na Argentina Bitcoin decola 50% em fevereiro. Ainda vale a pena comprar? BlackRock, maior gestora do mundo, começa a oferecer ETF de Bitcoin na B3 Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil