Economia

Santander paga R$ 79 milhões para clientes após cobrança indevida no Pix

Banco espanhol fechou acordo com o BC para repassar valores para os usuários até maio de 2023.

O banco Santander firmou um acordo com o Banco Central do Brasil para ressarcir seus clientes após cobranças indevidas em transações via Pix. No total, a instituição repassará R$79,14 milhões aos usuários.

De acordo com a proposta, o banco tem até maio de 2023 para repassar o valor total devido. A dívida diz respeito ao envio de remessas através do Pix e juros sobre o cheque especial.

O Santander afirma que 90% da dívida já foi paga aos clientes nos últimos meses. Sendo assim, o banco espanhol possui ainda nove meses para quitar completamente a dívida acordada com o BC.

Santander deve dinheiro para clientes


O BC decidiu que o Santander deve ressarcir seus clientes por cobrança indevida em algumas operações financeiras no banco. Parte do valor cobrado indevidamente está relacionado ao envio de valores através do Pix.

O banco teria cobrado ainda, de forma errônea, valores no uso do cheque especial por microempreendedores individuais (MEI). Segundo o BC, essas cobranças aconteceram entre 1º de janeiro de 2014 e 7 de fevereiro de 2022.

Até então, o Santander cobrava taxas de utilização do Pix por microempreendedores individuais e microempresários. Quase 270 mil clientes foram afetados com a cobrança indevida e o banco ressarcirá eles em R$ 17,6 milhões.

O BC cobra também uma contribuição pecuniária do Santander. O acordo cita a cobrança indevida pelo banco espanhol em casos de antecipação de parcelamentos gerados via cartão de crédito.

O valor da dívida sobre antecipação de parcelas do cartão de crédito corresponde a R$ 18,3 milhões. Essa quantia será distribuída entre mais de 378 mil clientes do Santander.

O acordo entre o BC e o Santander foi firmado em maio de 2022. Desde então, o Santander já pagou mais de R$ 70 milhões para os clientes lesados pela cobrança indevida de taxas pelo banco.

Além de apresentar que 90% da dívida já foi paga aos clientes, o Santander orienta que aplicou medidas internas para que o erro não seja repetido pela instituição. Em caso de recorrência, o BC prevê uma nova cobrança.

Portanto, o Santander poderia ser obrigado a pagar uma contribuição pecuniária adicional. Nesse caso, o valor cobrado seria o mesmo que o montante devido pela instituição.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Faraó do Bitcoin declara R$60 milhões em campanha política Brasil volta a crescer e PIB sobe 0,69% em junho Quanto os bilionários brasileiros já perderam em 2022 Como o Flamengo saiu da falência para o maior orçamento do Brasil Inflação mensal na Argentina supera a anual no Brasil em Julho