Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Golpe do namoro falso engana idosos e gera perdas de US$90 milhões em criptomoedas

Uma conta de criptomoeda registrada em nome do suspeito recebeu mais de US$ 90 milhões entre janeiro de 2021 e novembro de 2022.

Um “novo velho golpe” tomou os holofotes nesta quinta-feira (23), tanto seus métodos, quanto suas vítimas podem ser considerados antigos. Visto que trata-se da “jovem atraente oferecendo investimento em criptomoedas”, geralmente à idosos. Desse modo, em matéria da Reuters, um esquema de fraude com criptomoedas na Tailândia, conhecido como “abate de porcos”, volta à tona.

Nesse sentido, o foco da matéria é em Wang Yicheng, um empresário chinês e vice-presidente de um grupo comercial local na Tailândia. Wang estabeleceu relações com a elite policial e política do país. O “sedutor da internet” é vice-presidente de um grupo comercial com sede em Bangkok chamado Associação Comercial de Intercâmbio Económico Tailândia-Ásia

Uma conta de criptomoeda registrada em nome de Wang recebeu mais de US$ 90 milhões entre janeiro de 2021 e novembro de 2022. Desse montante, pelo menos US$ 9,1 milhões estavam ligados a esses esquemas de fraude.

“Sedutores da internet”

O artigo detalha como as vítimas são enganadas por golpistas que constroem confiança online. Nesse sentido, muitos as persuadem até romanticamente a investir em esquemas fraudulentos de criptomoedas.

Além disso, o golpe é feito muitas vezes por meio de sites falsos que parecem plataformas de negociação legítimas. Um exemplo trazido na reportagem é um homem da Califórnia de 71 anos que perdeu suas economias de vida, em um desses golpes.

A família do homem disse à Reuters que ele perdeu cerca de US$ 2,7 milhões, as economias de sua vida, depois de ser vítima de alguém que afirmava ser “uma jovem atraente” chamada Emma.

Por ironia, nada engraçada, em outubro de 2022, na sede da polícia tailandesa, o empresário chinês Wang Yicheng parabenizava um dos principais investigadores de crimes cibernéticos de Bangkok por sua recente promoção.

Desse modo, presenteando-o com um grande buquê de flores envolto em papel vermelho e um laço. Wang, vice-presidente de um grupo comercial local chinês, desenvolveu relações com membros da elite policial e política da Tailândia, conforme mostram postagens online do grupo.

Nos bastidores, Wang recebia milhões

Entretanto, nos bastidores do golpe, a conta da Binance em nome de Wang recebia milhões de dólares. Wang, que tem 41 anos de acordo com os documentos de registro da conta, não respondeu a perguntas da Reuters.

O governo tailandês, a polícia tailandesa e o grupo comercial de Bangkok que Wang representava, a Associação de Comércio de Trocas Econômicas Tailândia-Ásia, também não responderam. Alguns aspectos da operação de ‘abate de porcos’ permanecem obscuros.

A Binance também disse que ‘não comenta sobre contas específicas ou investigações em andamento’. E que ‘não pode confirmar a existência de uma investigação sem um pedido oficial de uma agência de aplicação da lei’. A empresa acrescentou que ‘sempre toma medidas apropriadas, incluindo bloquear contas, quando há suspeita de atividade ilegal’.”

Entretanto, em janeiro, agentes do Federal Bureau of Investigation e do Serviço Secreto dos EUA participaram de um briefing sobre fraude cibernética. As informações são segundo Erin West, promotora da Califórnia especializada em crimes cibernéticos que participou.

Uma apresentação de 72 páginas preparada para os participantes, revisada pela Reuters, fornece detalhes sobre fraudes cibernéticas operadas no Sudeste Asiático e cita Wang como um dos supostos beneficiários.

A apresentação mostra dinheiro fluindo para uma carteira cripto identificada como pertencente a Wang, destaca seu papel na associação Tailândia-Ásia e inclui uma foto de sua carteira de identidade e outras fotos dele.

No artigo da Reuters, o FBI e o Serviço Secreto também recusaram-se a comentar o briefing ou se Wang fazia parte de alguma investigação. A Organização Global Anti-Scam, uma organização sem fins lucrativos dos EUA que defende vítimas de golpe e investiga casos, deu o briefing.

Apreensões não são de hoje

Em abril, o Departamento de Justiça dos EUA apreendeu cerca de US$ 112 milhões em criptomoedas ligadas a golpes de abate de porcos, sem identificar suspeitos. Um mandado resultou na apreensão de mais da metade desse valor, especificando uma conta Binance registrada na Tailândia.

A promotora da Califórnia, Erin West, relatou que muitas vítimas nos centenas de casos de abate de porcos que ela tratou desde o início de 2022 perderam mais de US$ 1 milhão. A maioria nunca consegue recuperar seu dinheiro. Além disso, West mencionou à Reuters que pelo menos uma vítima cometeu suicídio e outra tentou. “Nunca vi este nível de devastação absoluta”, disse ela.

Além disso, especialistas em crimes financeiros afirmam que os golpes de abate de porcos tiveram origem na China. Organizações criminosas do Sudeste Asiático, atualmente, gerem muitos dos golpes de abate de porcos, utilizando vítimas de tráfico de mão-de-obra para contatar indivíduos em todo o mundo, conforme afirmou o Tesouro dos EUA em setembro.

Os golpes são difíceis de processar. Jeremy Douglas, representante regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, descreveu os perpetradores como “sindicatos implacáveis do crime organizado transnacional” que prosperam com a corrupção, em declaração à Reuters.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Crise diplomática com Israel impacta FAB, agro e energia no Brasil Aos 85 anos, Abílio Diniz ainda inovava e apostou em cripto Apple bloqueia pornografia em Vision Pro e usuários ficam irritadíssimos Analistas aumentam estimativa de lucro do Nubank em 4x e banco sugere “calma” Terceiro homem mais rico do México tem 60% do patrimônio líquido em Bitcoin