Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Investimentos

ETF que aposta na queda do bitcoin cresce 300% e atinge R$ 417 milhões

BITI é o segundo maior fundo de investimentos voltado para a criptomoeda no mercado norte-americano

A queda do bitcoin no mercado está beneficiando o fundo de investimentos BITI. O ETF, criado recentemente pela ProShares, cresceu mais de 300% na última semana, de acordo com a Arcane Research.

No total, a exposição líquida do ETF BITI ultrapassou 3,8 mil unidades de bitcoin. Considerando a cotação da criptomoeda nesta quarta-feira (6), o fundo possui R$ 417 milhões.

Embarque em mais de 150 horas de conteúdo exclusivo sobre o universo das criptomoedas e blockchain na Plataforma BlockTrends.

O ETF BITI é o primeiro fundo com 100% de exposição ao bitcoin que aposta na desvalorização da criptomoeda. Dessa forma, o mercado em queda pode contribuir para aumento da adesão de investidores ao fundo.

BITI cresce no mercado cripto

Lançado oficialmente no dia 21 de junho de 2022, o ETF está aumentando consideravelmente o volume de sua exposição líquida no mercado. Em apenas quatro dias, o fundo cresceu 306%.

Até o dia 27 de junho, por exemplo, o volume do ETF BITI da ProShares era inferior a mil unidades de bitcoin. Naquele dia, o fundo registrou uma exposição líquida de 938,66 bitcoins.

Mas, desde o seu lançamento no dia 21, a exposição líquida do fundo de investimentos continua crescendo. No primeiro dia de operações, o ETF BITI conseguiu atingir um volume de US$ 35 milhões em transações, o que representa 850 mil cotas negociadas.

O ETF BITI representa um fundo de investimentos com exposição ao bitcoin totalmente regulado pelo mercado financeiro. Dessa forma, as operações dele acontecem na bolsa de valores de Nova York.

Imagem: Arcano Research

A exposição líquida de R$ 417 milhões no dia 1º de julho fez ainda com que o ETF BITI atingisse o segundo lugar no ranking dos maiores fundos de investimentos voltados para o bitcoin nos EUA, diz a Arcano.

“Com as entradas na semana passada, o BITI é inquestionavelmente o segundo maior ETF de BTC nos EUA, aumentando a diferença para Valkyrie e VanEck.”

Desvalorização também impulsiona ETF QBTC


A desvalorização da cotação do bitcoin também impulsiona a adoção de fundos como o ETF QBTC11, criado pela QR Asset. Investidores enxergam na criptomoeda uma oportunidade de longo prazo, acreditando na recuperação do preço.

Assim como o BITI, o QBTC11 registrou aumento no patrimônio líquido de bitcoins. Agora, o fundo da QR Asset possui mil unidades do criptoativo sob custódia, o que representa mais de R$ 110 milhões.

Preço do bitcoin aumenta exposição do fundo


O aumento da exposição líquida do ETF BITI aconteceu logo após duas grandes entradas no fundo. O relatório da Arcane mostra que essas operações foram registradas nos dias 29 e 30 de junho.

A primeira transação corresponde a 1.684 bitcoins, que atualmente valem mais de R$ 186 milhões no mercado. Enquanto isso, a segunda operação movimentou 700 unidades da criptomoeda, ou seja, cerca de R$ 77 milhões.

Sendo assim, essas duas operações foram responsáveis por aumentar a exposição líquida do ETF BITI em R$ 263 milhões, portanto, um acréscimo de 63% no volume total custodiado pelo fundo de investimentos que aposta na desvalorização do bitcoin.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Pela primeira vez em 15 anos, todos bilionários com menos de 30 anos são herdeiros. E isso é ótimo para o Bitcoin Alguém lembrou de 50 centavos em BTC guardados em 2010. Agora valem US$3,3 milhões Por que o Bitcoin está caindo tanto nesta sexta-feira (12) Quanto valem as criptomoedas de Times Brasileiros Golpe faz investidores perderem R$1,3 milhão em 2 minutos em criptomoeda