Economia

Banco Central americano revela que 12% dos adultos possuem criptoativos

Em uma pesquisa realizada pelo próprio Federal Reserve, foi revelado que cerca de 12% dos americanos adultos detêm criptoativos.

Fruto de uma pesquisa que envolveu mais de 11.000 entrevistados, o Federal Reserve coletou diferentes dados sobre o interesse da população americana sobre criptoativos e, de acordo com os dados colhidos, o Banco Central Americano concluiu que ao menos 12% dos americanos se envolveram financeiramente com criptoativos ao longo de 2021, em uma notável guinada positiva para a adoção do mercado cripto.

Ainda segundo o Banco Central, 86% dos entrevistados alegaram ter ouvido pelo menos uma vez sobre Bitcoin, Ethereum e outros criptoativos.

Os dados demarcam a primeira vez da qual um órgão de tal relevância como o Federal Reserve se dedicou a estudar os impactos da criptografia sobre a população americana, sinalizando o possível início de uma crescente regulatória.

A última pesquisa desta magnitude, realizada pelo Pew Research Center em novembro do ano passado, revelou que 16% dos americanos admitiram usar criptomoedas para negociação, investimentos ou pagamentos.

Sob um olhar técnico, a pesquisa evidencia o estado da tecnologia cripto em sua curva de difusão da inovação, em uma posição que se aproxima dos ‘adotantes iniciais’, antecipando o início da curva ascendente referente a adoção massiva.

O que é o Bitcoin?

O Bitcoin é a primeira e maior criptomoeda do sistema financeiro global e traz consigo uma estrutura caracterizada principalmente pela sua altíssima complexidade. Mesmo assim, entender o Bitcoin e seus propósitos não é uma tarefa difícil.

De forma simples, o Bitcoin nada mais é do que um protocolo que fornece a possibilidade de criação de uma carteira digital que move dinheiro de forma totalmente virtual. 

A partir dele, você pode armazenar e transacionar valor de forma ponto a ponto (P2P), sem a necessidade de terceiros para auxiliar na realização da transação, como ocorre no mundo financeiro tradicional. 

A essência da rede se dá pela sua descentralização e por ser um código aberto, qualquer pessoa pode ter acesso ao livro razão do Bitcoin, onde todos os saldos de todos os endereços da rede constam (de forma totalmente criptografada). 

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.