Blockchain

Telegram deve ter pagamentos em cripto com custo zero

O Telegram, app com cerca de 500 milhões de usuários, passará a contar com transações em criptomoedas, reduzindo custos em um mercado que gera $120 bilhões em taxas aos bancos por ano.

Fundado em 2013 pelos irmãos Nikolai e Pavel Durov, o Telegram, rede social com ao menos 500 milhões de usuários, é conhecido pelas inovações e opcionalidades muito à frente de concorrentes como Whatsapp.

Agora, o aplicativo de mensagens se prepara para agregar uma opção de pagamentos instantâneos por meio de uma carteira própria e utilizando criptomoedas.

Segundo comunicado da empresa, o app deve suportar 2 criptomoedas, o Bitcoin, e a Ton (The Open Network), uma cripto própria do Telegram.

A inovação é relevante não apenas pelo alcance do próprio app, mas por permitir pela primeira vez envio e recebimento de recursos entre usuários em qualquer lugar do mundo e sem custos, além, claro, de serem instantâneas.

O mercado global de remessas tem sido um dos mais duramente afetados pelas inovações envolvendo cripto e meio de pagamento.

Além da demora entre 2 a 3 dias, o mercado de pagamentos internacionais, que movimenta $23,5 trilhões, garante ao menos $120 bilhões em taxas aos bancos. Uma quantia considerável fruto da burocracia, e que afeta majoritariamente países mais pobres, onde a população costuma receber recursos de familiares morando em outros países.

A saga da TON, a cripto do Telegram

Criada em 2017, a TON utiliza o mecanismo de “proof-of-stake”, gerado através de um DNS descentralizado. 

Em 2020, o Telegram buscou promover um ICO, uma sigla para “Oferta Inicial de Moeda” (similar a um IPO, mas com lançamento de uma criptomoeda). O objetivo era levantar até $1,7 bilhão. A SEC, o órgão regulador do mercado financeiro americano, vetou o lançamento, alegando tratar-se de uma oferta não registrada de valores mobiliários.

O caso terminou com uma multa para o Telegram da ordem de $18 milhões, além da devolução de $1,2 bilhão que haviam sido levantados.

Para assegurar a utilização do TON, o Telegram incluiu as criptos na sua fundação, a Ton Foundation. A utilização deve ser feita por meio da carteira própria do app, o que demanda a instalação mais recente do app.

Como comprar Bitcoin por meio do Telegram

Para  adquirir TON ou Bitcoin, o usuário precisa enviar uma mensagem para a @wallet, no que o bot irá demandar uma confirmação do número de telefone, e em seguida criar 2 carteiras associadas à conta do usuário. 

Com o endereço da carteira, é possível enviar e receber criptos pelo Telegram.

Para comprar Bitcoins utilizando cartão de crédito, o usuário deve indicar primeiro qual moeda irá transacionar, e em seguida realizar um KYC (Know your customer), enviando um documento por foto.

É possível adquirir entre $25 e $6 mil.

Ao definir valores e cadastros, o usuário será redirecionado para o site da NeoCrypto.com, a processadora de pagamentos utilizada na operação.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
O YouTuber que foi dono de $620 bilhões por 7 minutos A gestora de $12,5 bilhões que quebrou por causa de um meme Petrobras pagou 15x mais ao governo do que a acionista minoritários Investimento de $1,6 bilhão da Binance vira $3 mil em 1 semana Os times que mais gastaram nessa janela de transferência