Tecnologia

Startup oferece aluguel de Teslas por $995 ao mês

A startup de aluguel de carros Kyte anunciou o serviço de assinatura mensal de veículos Tesla Model 3 com valores a partir de $995.

A Kyte, uma startup americana de aluguel sob demanda, anunciou que está adquirindo uma frota de veículos Teslas (Tesla Model 3) para oferecer um serviço de assinatura mensal para seus clientes.

O conceito de “assinar” um carro em vez de comprá-lo ou alugá-lo ganhou força nos últimos anos. Várias montadoras e empresas terceirizadas iniciaram esses serviços, que têm como a principal vantagem a simplicidade e o menor comprometimento que as locações tradicionais.

A startup Kyte não revelou quantos veículos Teslas garantiu para o serviço, mas recentemente garantiu um financiamento de crédito lastreado em ativos de $200 milhões para expandir suas operações.

Segundo as informações do site da empresa, os veículos do modelo Tesla Model 3 Long Range AWD estarão disponíveis a partir de assinaturas de $995 mensais durante 12 meses, com opção de assinaturas de 3 e 6 meses por $1350 e $1125 respectivamente.

Como a Tesla saiu da quase falência para valer mais que toda bolsa brasileira hoje

O natal de 2008 não foi uma época exatamente fácil para Elon Musk. Sua empresa espacial havia falhado nos primeiros lançamentos, sua companhia de carros elétricos estava à beira da falência, o mundo via sua maior crise desde 1929, e como se fosse pouco, Musk também estava se divorciando.

Em entrevistas posteriores Musk lembra do momento comentando que sua visão sobre a Tesla em específico, era de que a chance de sucesso era tão baixa que ele próprio decidiu prover os recursos, sem atrair investidores.

Musk, que anos antes havia vendido sua participação no PayPal, se tornou sócio da Tesla em 2004. Nos 4 anos seguintes, assumiu um papel crucial na empresa, como CEO, além de principal fonte de recursos.

Em 2008, porém, a Tesla ainda era apenas uma ideia, e o dinheiro havia acabado.

No Natal daquele ano, entretanto, surgiu um “milagre” que acabou por salvar a companhia. A alemã Daimler, ela própria resgatada pelo governo em meio a crise, injetou $50 milhões para salvar a Tesla.

Em maio de 2009, jornais reportaram que a fabricante de carros alemã havia avaliado a Tesla em $550 milhões, adquirindo uma participação menor do que 10%.

Na época, a empresa havia arrecadado $187 milhões de investidores, e entregado 147 carros.

Leia o restante da história clicando aqui.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.