Economia

Inflação anual americana chega a 9,1%, maior número em 40 anos

O Consumer Price Index (CPI) registrou uma alta de 1,3% em junho, levando o acumulado de 12 meses chegar à máxima de 40 anos.

Divulgado na manhã desta quarta-feira (13), o Consumer Price Index, principal índice da inflação americana, registrou uma alta de 1,3% em junho.

O número veio de acordo com a projeção esperada, notavelmente elevada, que sinalizava uma alta de 1,3%. Em dados mensais, essa foi a maior alta desde outubro de 2005, já no acumulado anual, o valor chega a 9,1%, sendo a maior inflação de 40 anos. 

Sob o retrospecto do cenário inflacionário, a atual crise supera por larga vantagem a crise de 2008, quando o acumulado anual chegou a máxima de 5,6%. 

A crescente é superada apenas pela alta registrada no final dos anos 70 e início dos anos 80, quando o CPI anual atingiu uma máxima de 14,8%. Durante este período, o presidente do FED Paul Volker, liderou uma alta histórica de juros nos EUA, gerando como consequência a “década perdida”, na América Latina.

IPCA fica em 0,67% em junho e Brasil tem a maior inflação em 19 anos.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, foi de 0,67% em junho, chegando a 11,89% no acumulado de 12 meses.

O aumento coloca o Brasil na maior inflação desde novembro de 2003, quando o acumulado anual do índice chegou a 11,02%. A maior contribuição veio do setor de vestuário, com alta de 1,7% no mês. Para os próximos meses, é possível que o impacto da PEC dos combustíveis seja notado no índice.

Com isso, a inflação brasileira pós-pandemia superou os dados registrados durante a crise de 2015-16, sob o governo Dilma.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.