Economia

Brasil é o 3º país mais caro para se comprar hardware

Mesmo com a queda do dólar, o Brasil continua sendo um dos lugares mais caros do mundo para se adquirir produtos de tecnologia.

Mesmo com uma queda média de 30% nas cotações de produtos de tecnologia no mercado global, o Brasil continua com um dos maiores custos base para se adquirir produtos tech no mundo.

De acordo com o ranking elaborado pela Grover, startup alemã da área de tecnologia, o Brasil é o terceiro país mais caro do mundo para se adquirir hardware, ficando atrás de Nigéria e Argentina, que completam o pódio.

Brasileiros que desejam comprar desde placas gráficas até processadores enfrentam em média um desvio de preço de 37,8% em relação à cotação, enquanto argentinos chegam a pagar 67,3% a mais.


A métrica foi formulada a partir da comparação de preços dos aparelhos mais populares em 50 países, tanto em lojas online quanto em lojas físicas. Entre os produtos que Grover comparou estavam iPhones, consoles PlayStation 5 e placas gráficas.

No ranking selecionado dos iPhones, o Brasil é o segundo país com o maior desvio, de 60,3%, enquanto a Argentina lidera com uma larga vantagem de 161%.

Preços de placas de vídeo já dispararam em até 90% no Brasil em 2021


Para o público aficionado por computação e jogos, o aumento de preços nos produtos não é novidade nenhuma, desde o ano passado os produtos estão apresentando um aumento sinuoso devido a diferentes fatores.

Como estes produtos são em maioria importados ou relacionados a materiais cotados internacionalmente, a sensibilidade perante as variações do dólar são muito mais visíveis do que em produtos domésticos, e esse é exatamente o caso de componentes de hardware como placas de vídeos.

Além do aumento do dólar, outros dois eventos tem influenciado diretamente a disparada nos preços, a crise dos microchips e o colapso logístico global. A escassez dos microchips ocasionada pela paralisação das atividades na pandemia vem afetando todo mercado eletrônico global, causando grandes prejuízos para as corporações. Há poucas semanas, a Apple perdeu o posto de empresa mais valiosa do mundo após reportar um prejuízo bilionário em seu balanço devido a falta dos componentes.

Clique aqui para ler o restante da matéria.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta