Economia

Taiwan adota sanções contra Rússia

A República da China, ou Taiwan, decidiu se unir aos países democráticos em uma série de sanções contra a Rússia.

Após o início dos conflitos envolvendo Rússia e Ucrânia, o mundo se virou para outro local, também palco de uma tensão de proporções globais: o mar do sul da China. 

A República da China, também conhecida como Taiwan, é um território autodeclarado independente desde os anos 50, sendo comandado por opositores do regime comunista fundado por Mao Tse Tung.

Após a invasão russa, Taiwan declarou que pretende se unir ao mundo democrático em favor das sanções à Rússia. 

A China por outro lado, anunciou que não irá aderir a qualquer sanção, mantendo uma boa relação com Moscou, que por sua vez retribui o favor reconhecendo Taiwan como parte do território chinês. 

A escalada de tensão no leste asiático aumentou com ao menos 9 caças chineses invadindo o espaço aereo de Taiwan, e a imposição por parte da China de sanções às empresas americanas Lockheed Martin e Raytheon, por venderem ao menos $100 milhões em armas a Taiwan. 

O cenário por lá se difere da disputa entre Rússia e Ucrânia pela relevância de Taiwan na economia global.

Enquanto a Ucrânia é um país pobre, com um PIB per capita de $3,6 mil dólares, Taiwan é o centro do mundo no que diz respeito a produção de microprocessadores, e dona de uma economia de $32,87 mil dólares per capita.

Em termos PPP, ou paridade de poder de compra, o PIB per capita de Taiwan equivale a $59 mil dólares, superior ao do Japão ($41 mil), França ($45,8 mil), e próximo ao americano ($63,5 mil)

O país de 23 milhões de habitantes e constantemente ameaçado pela China continental, é sede de empresas como a TSMC ou Foxconn.

Um conflito em Taiwan, portanto, teria um impacto muito mais relevante do que a simples ausência de atualizações do iPhone. 

Como mostrou a “crise dos Chips“, o atraso, ou rompimento, da linha de suprimentos vindos de Taiwan, poderia afetar a indústria global, e o prejuízo atingir a casa dos trilhões de dólares anuais.

Uma das razões é o avanço da tecnologia de Chips no país, o que serviços de inteligência como a CIA consideram estar décadas a frente dos EUA ou China. 

Para tentar reduzir o risco, os EUA tem investido no desenvolvimento da indústria local, mas em uma prática que pode demorar décadas para se confirmar. Até lá, o mundo seguirá incerto. 

Mineração de Cripto e Taiwan 

Apontada como uma das alternativas da Rússia para escapar de sanções em um eventual bloqueio do SWIFT, o sistema internacional de pagamentos entre bancos, a Blockchain é tambem dependente de Taiwan.

O hardware de mineração de Cripto, ou ASIC (Application-Specific Integrated Circuit), depende de circuitos fabricados em Taiwan.

É importante notar que o país não impôs sanções ao Cazaquistão, segundo maior participante da hashrate do Bitcoin.

Já a Rússia, terceiro na lista, pode enfrentar dificuldades em expandir mineração, um desejo já manifestado publicamente por Vladimir Putin.

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta