Notícias

Quem é Alisher Usmanov, bilionário russo dono do iate de $600 milhões apreendido na Alemanha

Amigo de Putin e detentor de uma fortuna de $14,5 bilhões, Alisher Usmanov teve seu iate apreendido na Alemanha.

Oligarca, do grego, oligoi (poucos), arkhein (governante), se tornou uma palavra da moda na Moscou dos anos 1990, quando um grupo de ex-gerentes de empresas estatais, donos de pequenas fábricas recém-criadas se tornaram, da noite para o dia, donos dos “meios de produção”.

O colapso da União Soviética no natal de 1991 representou a mais desordenada mudança econômica da história. 

Homens que antes possuíam a função de diretor financeiro, CEO, gerentes, ou começavam a produzir bens de consumo (como Roman Abramovich que começou sua trajetória como dono de uma fábrica de bonecas), se tornaram responsáveis por assumir as literalmente milhares de empresas estatais privatizadas na Rússia.

Ainda hoje o país com maior volume de recursos naturais, estimados em $74 trilhões de dólares (ou o equivalente a 50 vezes o PIB russo), o país se tornou uma farra para empresários que buscavam consolidar estatais espalhadas e ineficientes.

Alisher Usmanov, nascido no Uzbequistão e formado em “relações internacionais”, saiu da prisão em 1986, após ser sentenciado a 8 anos de prisão por “roubar propriedade do partido comunista”, direto para o início da Perestroika, o processo de abertura comercial russa.

Usmanov começou sua empreitada criando uma fábrica de sacolas plásticas, um negócio simples, mas cujo valor era útil em uma sociedade que esperava começar, enfim, a ter acesso ao tal do consumismo.

Quando a União Soviética enfim ruiu, Usmanov já era um milionário em dólares americanos, e retomaria sua posição em órgãos públicos, algo que já havia lhe levado para a prisão.

Entre 1994 e 1998, passou a ser diretor do Interfin Interbank, um dos inúmeros bancos ainda estatais após a queda do regime comunista. Em 2000, Alisher assumiu o comando do braço de investimentos da Gazprom.

Ser um exímio funcionário público, porém, não o impediu de criar negócios próprios, ao contrário, lhe garantiu uma boa ajuda, afinal, networking é tudo. E o círculo de amizades de Usmanov inclui nomes como Vladimir Putin e Roman Abramovich.

Sua empresa, a USM, na qual Alisher detém 49% do capital e 100% dos votos, se tornou uma gigante nas áreas de mineração, siderurgia e mídia, um ramo que a despeito do baixo desempenho econômico continua sendo útil a alguém classificado como “Oligarca”.

Em 2008 sua empresa adquiriu o controle da mina de Udokan, um dos maiores depósitos de cobre do planeta. 

Foi também em 2008 que Usmanov adquiriu o controle da rede social russa VK, fundada pelo “Mark Zuckerberg russo”, Pavel Durov. 

Junto da VK, Alisher adquiriu parte da DST, o veículo de investimentos comandado por Yuri e que se tornaria, ainda hoje, um dos mais relevantes no mundo dos investimentos.

Em 2009, o DST se tornou acionista do Mark Zuckerberg original, adquirindo 1.96% do Facebook por $200 milhões. Uma fatia que hoje, não tivesse sido vendida por $1 bi, estaria rendendo cerca de $3 bilhões em lucro. 

Em 2011 o DST investiu $800 milhões no Twitter, além de um investimento não revelado na chinesa Xiaomi. 

Dentre outros negócios, Alisher é também sócio, desta vez com posição relevante, no Arsenal Footbal Club, time concorrente do Chelsea de seu amigo Roman.

A Bloomberg credita a ele uma fortuna de $14,5 bilhões, com a maior parte vinda da sua participação na Metalloinvest. 

Já a Forbes estima que seu mega-iate, supostamente apreendido pelo governo alemão, tenha um valor entre $250 milhões a $600 milhões.

O iate de R$3 bilhões é, segundo a própria Forbes, o maior do mundo em tonelagem bruta, e foi construído na Alemanha ao longo de 52 meses.

A apreensão de iates do tipo tem complementado a lista de sanções impostas à Rússia, e miram fortunas, além de propriedades, de oligarcas ligados ao Kremlin. 

*Uma Versão anterior deste artigo destacava que o fundo DST Global havia se tornado investidor do Nubank, o que de fato ocorreu, entretanto, Alisher Usmanov não é mais investidor do DST Global desde 2011 segundo a assessoria da empresa. A assessoria destaca ainda que não há investidores russos nos seus mais recentes fundos. A DST Global administra atualmente $50 bilhões, e foi fundada pelo russo Yuri Milner.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta