Destaques

O que significa o 4:20 adotado por Elon Musk

Número recorrente nas polêmicas de Elon Musk, o 4:20 tem um significado um tanto quanto incomum na vida do homem mais rico do mundo.

Mundialmente conhecido como uma referência a maconha, o número 4:20 tem sua origem em uma tradição iniciada por estudantes americanos durante a década de 70, que fumavam ritualisticamente todos os dias às 16:20.

A tradição, que se mantinha apenas em uma esfera local, foi ampliada a e adotada pelos mais diversos americanos, posteriormente se tornando uma data de celebração no território americano (uma vez que no calendário americano meses vem antes dos anos, o 20/04 por aqui se torna um 4/20 por lá).

Coincidentemente, o 4:20 também acabou se tornando uma marca pessoal de Elon Musk, só que por um motivo completamente distinto.

Mesmo com algumas polêmicas envolvendo maconha, como o ocorrido no podcast de Joe Rogan, quando Musk fez uso público da erva, o motivo por trás da mística do número 4:20 tem uma origem diferente para Elon Musk.

O número tem suas raízes no autor favorito do bilionário, o escritor de ficção científica Douglas Adams, que segundo Musk, é seu ‘filósofo’ favorito.

Em sua obra ‘O Guia do Mochileiro das Galáxias’, um robô fonte de uma inteligência superior capaz de responder toda e qualquer dúvida é questionado sobre o sentido da vida, e sua resposta é apenas: 42.

O número escolhido por Adams não tinha uma grande explicação por trás, e foi fruto de uma brincadeira, que segundo ele trás uma reflexão central sobre a dinâmica de perguntas e respostas.

Musk por sua vez, teve seu primeiro contato com o livro durante sua adolescência, quando buscava o sentido da vida entre vários livros. O livro, trouxe reflexões sobre como as perguntas são muito mais complexas do que as próprias respostas.

A partir daquilo, Musk concluiu que, se você puder formular corretamente a pergunta, a resposta é sempre a parte mais fácil.

Com esse significado central, Musk se tornou um aficionado pelas obras de Adams em sua adolescência, adotando o número 42 como seu ‘número da sorte’ e utilizando ele como referências ao longo da sua vida.

Em 2018, Musk se envolveu em uma polêmica com o número, tweetando sobre a possibilidade de tornar privado o capital da Tesla com um preço ordinário de $420 (o CEO da Tesla chegou a mencionar que teria assegurado financiamento saudita para a operação, que obviamente não foi adiante).

Já em 2022, coincidentemente a aquisição hostil proposta por Musk para o Twitter também continha o número ($54,20 por ação). 

Na prática, o número se tornou uma piada interna do empresário, deixando sempre dúbio aquilo que ele diz e o que ele pretendia dizer

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
Problemas de liquidez afetam 4 plataformas cripto Torcidas brasileiras de futebol irritam jornais argentinos com piada Quanto ganham os executivos de empresas estatais 5 bancos que já revisaram o PIB brasileiro para cima em 2022 Como era o Brasil no ano da conquista do penta