Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Tecnologia

Criador de Game of Thrones processa OpenAI por direitos autorais

Os escritores argumentam que a ferramenta de IA da OpenAI consegue fazer resumos de personagens, e fornecer informações que não se encontram online.

Mais autores best-sellers, incluindo o criador de Game of Thrones George R.R. Martin, estão processando a OpenAI, empresa por trás do ChatGPT. Nesse sentido, os autores estão alegando violação de direitos autorais por parte da inteligência artificial.

Eles afirmam que a OpenAI utiliza seus livros para treinar a inteligência artificial e, consequentemente, deveriam receber uma compensação financeira por isso. O ChatGPT é treinado em uma base de dados fechada e restrita da internet. Esse modelo de linguagem foi alimentado com várias informações, desde trabalhos acadêmicos até livros da cultura pop.

Entre na comunidade BLOCKTRENDS PRO com 15% OFF e receba +30 cursos, análises diárias, relatórios semanais, lives e mais.

O Authors Guild, uma organização de escritores dos EUA que defende e protege os direitos autorais, apoiou o início do processo. Outros autores renomados, como Jonathan Franzen, Elin Hilderbrand, David Baldacci e Michael Connelly, também apoiam a ação.

Alegações contra o ChatGPT

O caso corre sem segredo de justiça. Na petição inicial, os autores acusam que, até muito recentemente, alguém podia solicitar ao ChatGPT que retornasse citações de texto de livros protegidos por direitos autorais com um bom grau de precisão. Ou seja, sugerindo que o modelo de linguagem foi exposto a esses livros completos durante seu treinamento.

“Agora, porém, o ChatGPT geralmente responde a tais solicitações com a declaração: ‘Não posso fornecer trechos literais de textos protegidos por direitos autorais.’ Os programadores impediram o ChatGPT de fornecer tais trechos, mesmo que temporariamente, embora ele tenha fornecido anteriormente e, em princípio, ainda tenha a capacidade de fazê-lo, acusam.

Os escritores reforçam o argumento que a ferramenta de IA da OpenAI consegue fazer resumos de personagens, e fornecer informações que não se encontram online, sugerindo que a OpenAI usou os livros para treinar a IA.

Eles alegam que a OpenAI não só lucra com o uso indevido dos livros, mas também permite que a ferramenta produza obras semelhantes. Além de resumir livros inteiros e execute outras funções que podem prejudicar o trabalho dos autores. Até o momento, a OpenAI não se pronunciou sobre o caso.

Em julho de 2023, o Authors Guide publicou uma carta aberta assinada por mais de 10 mil autores, exigindo que empresas de tecnologia, incluindo a OpenAI, Meta, IBM e Microsoft, compensassem os escritores pelo uso indevido de livros no treinamento de chatbots.

A carta ressalta que essas tecnologias imitam a linguagem, histórias, estilo e ideias dos autores. Além disso, os sistemas de IA se alimentam de obras protegidas por direitos autorais sem oferecer qualquer compensação.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Mt. Gox diz que vai pagar US$ 8 bilhões aos credores semana que vem Ancord e BlockTrends lançam primeira Certificação em Criptoativos do Mercado Financeiro e de Capitais Donald Trump Agora Possui US$ 30 Milhões em Memecoins DOG é listada na Bybit e atinge máxima histórica pelo segundo dia consecutivo DOG, memecoin no Bitcoin, atinge nova máxima histórica