Economia

China tem 53% do PIB em lockdown com aumento da Covid

Com ao menos 80% das maiores cidades em lockdown, a economia chinesa pode enfrentar uma forte desaceleração neste ano.

Uma estimativa baseada em movimentação de tráfego de caminhões por meio do centro logístico e financeiro da China, Shanghai, estima que um mês de lockdown na cidade poderia reduzir o PIB chinês em até 3%.

Com 73,8% da sua economia dependendo do frete por caminhões, a estimativa apresenta uma escolha para os dirigentes chineses entre preservar o ritmo da economia, ou evitar um contágio maior, no país que até aqui alegava não ter tido mais do que alguns milhares de casos da Covid-19.

Ao menos 87 das 100 maiores cidades chinesas enfrentam restrições de algum tipo em função do vírus, incluindo 73 delas responsáveis por cerca de 53% do PIB chinês.

As restrições em Shanghai, mais severas, têm gerado um congestionamento no porto, o maior da China e do mundo, com uma movimentação de 549 milhões de toneladas em 2019 (o equivalente a 40% da movimentação de todos os portos brasileiros).

O modelo adotado cobre ao menos 319 cidades (de um total de 687), e aponta ainda que uma restrição em Shanghai poderia reduzir a renda mensal média em até 54%.

Um lockdown como o que ocorre hoje, mas incluindo as 4 maiores cidades do país (Beijing, Guanzhou, Shenzen, além da própria Shanghai), poderia reduzir o PIB mensal do país em 8,6%.

A queda no PIB chinês tem sido apontada como um dos motivos para frear a alta de commodities, que a despeito da guerra na Ucrânia, que já se aproxima de 2 meses, tem ficado estáveis.

Em 2020, ano mais intenso da pandemia, a economia chinesa cresceu 2,3%, contra uma queda de 3,5% no PIB americano.

Notícias relacionadas

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.