Cripto 101

O que são as DAOs, a sigla do mundo cripto que você mais vai ouvir em 2022

Como o Spotify não nos deixa mentir, 2021 foi o ano das NFTs, um mercado que saiu de $100 milhões para $22 bilhões. Já em 2022, as DAO têm boas chances de ganharem as manchetes.

Criada em 1787, a constituição americana é a mais antiga ainda em vigência no mundo, além de a mais conhecida. Com 7 artigos originais e 27 emendas (contra 116 da CF brasileira nos últimos 30 anos).

Desde que foi impressa pela primeira vez, a carta magna americana viu o número de exemplares existentes cair dos 500 originalmente impressos para apenas 13 remanescentes.

Em novembro deste ano, uma destas 13 “cópias originais”, foi a leilão na Sotheby ‘s.

De olho na oportunidade de adquirir um pedaço da história, um grupo de 17 mil pessoas que nunca se conheceram decidiu se juntar para adquirir o exemplar.

Por meio de uma DAO, uma “Organização Descentralizada Autônoma”.

Em suma, a ConstituionDAO organizou um mega “crowndfunding” angariando doações anônimas para fazer um lance no leilão. Infelizmente, o grupo acabou não vencendo, a despeito de ter levantado $40 milhões em questão de dias, o que implicou na devolução do dinheiro.

Ainda assim, a DAO ganhou espaço como uma nova maneira de organização social usando a tecnologia blockchain.

Como Andreessen Horowitz, um dos maiores nomes da indústria de Ventural Capital descreveu, uma “DAO” é como uma comunidade online com uma conta bancária comum.

Por meio da tecnologia blockchain, os organizadores ou proponentes de uma DAO podem delimitar suas regras de governança e atuação.

Na prática, a organização funciona como um grande “VC”, investindo em projetos, ideias e empresas.

Em um dos investimentos propostos recentemente, um grupo pretende adquirir a marca Blockbuster, tornando-a uma empresa de streaming descentralizado.

A marca hoje em posse da Dish Network, possui um valor estimado em $5 milhões.

A ideia do grupo é após adquirir os direitos sobre o nome, iniciar uma votação sobre o futuro da Blockbuster, que, ao que tudo indica, pode se tornar o projeto de “DeFilm”.

O grupo também deve criar recompensas e outros benefícios para membros utilizando as NFTs como recompensa.

Na prática, as DAOs permitem que pessoas ao redor do planeta possam se tornar sócias de um empreendimento descentralizado e votar para definir suas regras.

Na medida em que outros projetos como estes ganhem força, pode acabar se tornando uma alternativa para a centralização em empresas como as redes sociais, ajudando a criar ambientes menos centralizados.

Investidores de VC, uma prática do mercado que consiste em adquirir participações em empresas e ajudá-las a promover crescimento, tem olhado para as DAO como uma maneira completamente nova de organizar investimentos na nova economia, menos burocráticos ou ligados a decisões individuais, como as Big Techs.

Os contratos inteligentes reduzem custos para investimentos ou organizações, uma vez que eliminam as “terceiras-partes”.

Em finanças, às DADOs permitem a criação e manutenção de exchanges descentralizadas, cujas regras permitem trocas entre indivíduos em qualquer lugar do planeta sem a necessidade de uma empresa centralizada controlando.

Para 2022, o modelo possui espaço para crescer na medida em que o capital alocado em cripto busca novos projetos para investir.

A sorte é que, ao menos até aqui, os projetos de DAOs parecem menos esdrúxulos do que macacos com ranho escorrendo.



Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.
7 famosos que investem em NFTs Entenda a questão envolvendo Rússia e Ucrânia 5 vezes que disseram que o Bitcoin morreu Conheça as 6 moedas que permanecem no Top 20 das maiores criptos desde 2017 Em um mês Nubank perde um terço do valor de mercado