Artigo

Bitcoin

Grandes investidores compram R$10,2 bilhões em Bitcoin em sábado histórico


Por Marcelo Campos
Julho 5, 2021

[post-views]

Enquanto você curtia seu final de semana, o Bitcoin vivia um sábado histórico. Grandes investidores realizaram a maior acumulação diária do criptoativo no ano. No mesmo dia, a rede Bitcoin realizou uma redução de 27,9% na dificuldade de se minerar um bloco, a maior da história.

Grandes investidores compraram 60 mil Bitcoins (R$10,2 bilhões) no sábado, de acordo com levantamento realizado pela Santiment, empresa de dados e análise on-chain. Essa foi a maior acumulação diária do ano.

Segundo tweet publicado pela empresa no domingo, a aquisição foi realizada por investidores com carteiras entre 10 mil e 100 mil BTCs.

Ainda de acordo com a Santiment, apenas nas últimas seis semanas, grandes investidores acumularam mais de 100 mil Bitcoins (R$17 bilhões).

Taxa de Hash em queda

Após o governo chinês impossibilitar e proibir a operação de milhares de mineradores no país, a Taxa de Hash do Bitcoin vem sofrendo uma aguda redução nas últimas semanas.

A Taxa de Hash é tida como um indicador de segurança. Quanto mais alta a Taxa de Hash da rede Bitcoin, mais caro se torna a realização do chamado “51% Attack”, quando agentes econômicos entram em conluio para tentar dominar e derrubar uma blockchain.

Sendo extremamente dinâmica e volátil, a Taxa de Hash é uma variável de difícil análise. Por isso, empresas de dados especializadas em blockchain costumam divulgar a taxa com o auxílio de médias móveis.

De acordo com a Coinmetrics, por exemplo, após atingir uma alta histórica de 164,8 milhões no final do mês de abril, a média móvel de 30 dias da Taxa de Hash caiu 32,2%, alcançando 111,7 milhões no começo de julho.

Com essa redução, a rede Bitcoin atualmente é tão segura quanto era exatamente há um ano atrás, quando a média móvel da Taxa de Hash alcançava 111 milhões pela primeira vez.

Ajuste de Dificuldade

Para evitar grandes volatilidades na Taxa de Hash e garantir que a rede permaneça com os incentivos corretos, a blockchain do Bitcoin realiza um ajuste de dificuldade a cada 2016 blocos de transações validados.

Esse ajuste, realizado na mineração do bloco, existe para regular o funcionamento da rede e já ocorreu 13 vezes neste ano. No entanto, em um contexto onde a Taxa de Hash sofre uma queda abrupta superior a 30%, os ajustes se tornam cruciais para manter a lucratividade dos mineradores da rede.

Com potencial para o lucro maior, mais mineradores são atraídos para a rede Bitcoin e, com isso, ampliam a Taxa de Hash, que por sua vez amplia a segurança da rede.

É um jogo de incentivos. Sempre que há uma redução significativa na força do Bitcoin, a blockchain do criptoativo aumenta a margem de lucro dos mineradores buscando reestabelecer o equilíbrio anterior.

Curiosamente, o ajuste realizado no último sábado foi o maior da história. Uma redução de 27,94% na dificuldade de minerar um bloco. Com a correção do último sábado, a rede Bitcoin já reduziu a dificuldade por bloco em 42,65% desde o início da proibição chinesa.

Futuro da rede Bitcoin

Estimativas do portal “BTC.com” indicam que a próxima redução de dificuldade, que deve ocorrer dentro de 13 dias, pode alcançar até -28,53%, quebrando novamente o recorde e se tornando a maior redução da história.

Caso a rede de fato caminhe para um novo recuo na dificuldade de se minerar o bloco, o Bitcoin será 59% mais fácil de ser minerado em comparação com maio.

Esse impulso na lucratividade dos mineradores é positivo para a rede, já que oferece mais tempo para grandes operações de mineração saírem da China. Além disso, o “bônus” amplia a descentralização, à medida que pequenos mineradores no mundo inteiro conseguem aumentar sua lucratividade sem precisar investir em poder computacional.


Para se manter atualizado, siga a QR Capital no Instagram e no Twitter.

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail