Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Economia

Diretores do FED começam a se preocupar com a inflação em alta

A minuta da última reunião do Federal Open Market Committee (FOMC), comitê responsável por reger a Política Monetária adotada pelo FED, aponta divergências entre seus membros. De acordo com a ata, oficiais do Federal Reserve podem antecipar alta nos juros caso haja necessidade. Membros do Federal Reserve (FED) estão discutindo a possibilidade de antecipar um […]

A minuta da última reunião do Federal Open Market Committee (FOMC), comitê responsável por reger a Política Monetária adotada pelo FED, aponta divergências entre seus membros. De acordo com a ata, oficiais do Federal Reserve podem antecipar alta nos juros caso haja necessidade.

Membros do Federal Reserve (FED) estão discutindo a possibilidade de antecipar um potencial tapering monetário, processo utilizado quando um Banco Central opta por reduzir a velocidade da emissão de moeda.

Apesar do discurso oficial de Jerome Powell, presidente do FED, indicar que o Banco Central norte-americano não deve aumentar a taxa de juros até o final de 2023, minutas divulgadas da última reunião do Federal Open Market Committee (FOMC) indicam um tom mais conservador na condução da política monetária nos Estados Unidos.

Faça parte da Comunidade BLOCKTRENDS PRO e lucre em cripto com relatórios semanais, análises diárias, sinais e lives exclusivas.

Tal como o COPOM, o FOMC é o comitê responsável por definir os rumos da política de juros no país. Segundo a minuta divulgada pela autoridade monetária americana, diversos integrantes do comitê externalizaram preocupação à luz dos novos dados referentes à inflação. Ainda de acordo com a minuta, essa preocupação pode e deve apressar um enxugamento da Base Monetária.

O discurso, porém, ainda é muito alinhado ao de Powell, já que integrantes do comitê deixaram claro o otimismo com a retomada econômica. A ata da reunião, por exemplo, reforça que apenas haverá mudança na condução da política monetária após uma substancial melhora na economia do país.

Inflação nos EUA

Após subir 0,6% em maio, o Consumer Price Index (CPI), principal índice de inflação norte-americano, já acumula alta de 5% nos últimos 12 meses, o mais severo registro desde a Crise do Subprime, em 2008.

No entanto, Oficiais do FED permanecem com a narrativa de que o atual desconforto inflacionário é temporário e atribuído à disrupções e estrangulamentos na cadeia de abastecimento. Segundo a tese, a maior parte da inflação americana se deve apenas ao retorno assíncrono da atividade econômica no mundo inteiro.

De acordo com a minuta, os integrantes do FOMC já esperavam que a inflação fosse superior a 2% no curto prazo, especialmente por causa da alta nos preços da energia, dos combustíveis e demais commodities.

Mesmo com o tom otimista, o núcleo do Personal Consumption Expenditure (PCE), um dos índices de inflação mais observados pelo FED, já acumula a maior alta desde 1992, após subir 0.5% em maio.

Ainda segundo a minuta, as incertezas em torno das perspectivas econômicas têm se elevado. “É muito cedo para tirar conclusões robustas sobre os caminhos do mercado de trabalho e da inflação”, concluiu a ata.


Para se manter atualizado, siga a QR Capital no Instagram e no Twitter.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com