Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

Carteira recomendada: Mercado Bitcoin (MB) estreia novo produto gratuito

Segundo a empresa, a carteira recomendada também tem o objetivo de incentivar as pessoas a descobrirem o seu perfil: conservador, moderado ou arrojado.

O MB (Mercado Bitcoin), uma das maiores plataformas de ativos digitais da América Latina, anunciou nesta segunda-feira (18) o lançamento de sua “Carteira Recomendada”. O novo produto visa contemplar os três principais perfis de investimento: arrojado, moderado e conservador.

Nesse sentido, a partir de uma análise fundamentalista, os estudos mensais são realizados pelos especialistas do Research MB. Entre eles, André Franco (CNPI), head da área, e Rony Szuster, analista de criptoativos.

Faça parte da Comunidade BLOCKTRENDS PRO e lucre em cripto com relatórios semanais, análises diárias, sinais e lives exclusivas.

Voltado para o investidor do varejo, a iniciativa visa contribuir com uma jornada mais fluida e segura de alocações, dado que o usuário contará com a expertise do MB na seleção dos ativos. Além disso, tem o objetivo de incentivar as pessoas a descobrirem o seu perfil: conservador, moderado ou arrojado.

Para isso, o MB conta com a BIO Financeira, uma ferramenta gratuita, disponível para todos os clientes da plataforma. Desenvolvida por meio de uma metodologia exclusiva para auxiliar os investidores a tomarem decisões mais certeiras em seus investimentos, segundo o MB. 

Diferentes perfis

Segundo a empresa, o perfil será traçado a partir de um questionário que avalia fatores como a tolerância ao risco, objetivos de investimento e horizonte de tempo. Desse modo, a BIO Financeira fornecerá ao investidor um planejamento financeiro completo, que inclui seu perfil de risco, sugestões de oportunidades de investimento e também informações sobre possíveis volatilidades e retornos associados a cada uma dessas oportunidades.

Para investidores conservadores, a prioridade das recomendações é preservar a segurança dos investimentos feitos. Desse modo, com o objetivo de mantê-los a longo prazo. Por isso há maior foco em ativos com tendência à preservação do capital, diz o MB

Já para os moderados, o ponto de equilíbrio da Carteira está entre o risco-retorno e a segurança. Por isso, o destaque são os investimentos com grande potencial de retorno e ativos já consolidados no mercado.

Para o perfil arrojado, a ênfase das análises está na diversificação, com a possibilidade de correr riscos e, paralelamente, obter bons resultados financeiros. 

Conservadores terão maior exposição ao BTC

Portanto, a distribuição das sugestões de investimento varia de acordo com a tendência do usuário. No momento, perfis conservadores terão maior alocação em Bitcoin e Ether. Além disso, um pouco a mais de caixa no SDC. Desse modo, os moderados e arrojados tendem para um parâmetro de risco maior, com inclusão de ativos alternativos, como smartcoins e gamecoins.

Vários aspectos são levados em consideração para estruturar o racional das Carteiras, além do apetite ao risco. Um deles é o cenário macroeconômico tradicional (expectativas em relação à volatilidade da taxa de juros, grandes eventos como o FOMC etc.), assim como o contexto do setor de criptomoedas (dominâncias das moedas e indicadores On Chain, por exemplo), além da variação de cada uma das altcoins (a relação delas com os competidores, seus desenvolvimentos, background e Market Cap). Vale destacar que a moeda principal utilizada como parâmetro para as análises será o Bitcoin.

“A realização desse projeto é um passo importante para o MB atuar, de forma ainda mais sólida, em direção a um dos nossos principais pilares: a educação. Uma vez que o mercado de criptomoedas possui muita volatilidade, é fundamental que o consumidor tenha conhecimento de mercado para realizar escolhas com segurança. Assim, o MB fornece ferramentas diretas para cada tipo de investidor e, por consequência, impulsiona educação e autonomia financeiras”, afirma Rony Szuster. 

Carteira Recomendada – Setembro

PERFIL CONSERVADOR: 75% Bitcoin, 13% Ethereum e 12% em USDC. A alocação em Bitcoin, Ethereum e USDC tem o objetivo de minimizar a volatilidade observada em protocolos mais novos. Mesmo menos voláteis, os investimentos em Ether e Bitcoin podem entregar ótimos retornos, visto que, em 2021, o Ether valorizou mais de 400% e o Bitcoin 58%.

PERFIL MODERADO: 70% Bitcoin, 23% Ethereum e 7% USDC. As porcentagens variam, porém as recomendações dos ativos de diversificação de carteira são as mesmas do perfil conservador, tendo por objetivo minimizar a volatilidade em protocolos mais novos. 

PERFIL ARROJADO: 63% Bitcoin, 25% Ethereum, 5% LDO, 4% USDC e 3% em smartcoins (1% STX, 1% MATIC e 1% MINA). A entrada de Stacks (STX) na carteira está relacionada ao renovado interesse do mercado por desenvolver na rede Bitcoin, especialmente com o surgimento dos NFTs através dos ordinals, que utilizam a tecnologia do Taproot. A inclusão de Polygon (MATIC) reflete a crescente importância das provas de conhecimento zero, um dos tópicos mais quentes do mercado no momento. Já a Mina (MINA) é uma blockchain leve e eficiente, que utiliza provas de conhecimento zero para manter o tamanho da cadeia constante e independe do número de transações.

Vale destacar que a carteira recomendada não envolve custos adicionais. O acesso às análises de cada perfil está disponível por meio do blog da empresa.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Mt. Gox move mais de US$ 9 Bilhões em Bitcoin após 6 Anos Donald Trump vira bitcoiner e quer conceder perdão presidencial ao criador da Silk Road Trader compra US$ 1,1 milhão em memecoin, e agora tem US$ 150 Elon Musk cria US$ 30 bilhões do nada com IA do Twitter Trader faz US$ 6.500 virar US$ 5,6 milhões com criptomoedas meme do Trump após ele falar bem do mercado