Investimentos

Empresa americana de mineração reutiliza carvão residual para minerar Bitcoin

Stronghold, uma empresa de mineração de bitcoin localizada na Pensilvânia, está reutilizando resíduos de carvão poluentes para minerar Bitcoin. Na última semana a empresa levantou $105 milhões de capital privado por meio de títulos.  A Stronghold Digital Mining é mais um exemplo disruptivo da narrativa que coloca a mineração como um dos fatores chave para […]

Stronghold, uma empresa de mineração de bitcoin localizada na Pensilvânia, está reutilizando resíduos de carvão poluentes para minerar Bitcoin. Na última semana a empresa levantou $105 milhões de capital privado por meio de títulos. 

A Stronghold Digital Mining é mais um exemplo disruptivo da narrativa que coloca a mineração como um dos fatores chave para a emissão de carbono. Com uma pegada ESG, a empresa localizada na Pensilvânia chegou a levantar $105 milhões em duas colocações privadas de título de capital. 

A empresa inova no ramo utilizando resíduos de carvão minerado para gerar energia e minerar bitcoin. A ideia partiu de um problema comum na Pensilvânia, Bill Spence, co-presidente da Stronghold, explicou que os resíduos de carvão deixados pelas mineradoras danificam o meio ambiente por meio de queimadas e escoamento ácido ao solo que polui o solo e água. 

“Os incêndios de resíduos de carvão têm causado estragos em meu estado natal, a Pensilvânia, nos últimos cem anos. Não apenas essas queimadas de carvão são uma importante fonte de gases de efeito estufa, mas o escoamento ácido e as cinzas dessas pilhas de queima descontroladas representam sérias ameaças à saúde, ao meio ambiente e à qualidade da água das comunidades vizinhas.”

Bill Spence, co-presidente

A drenagem ácida de resíduos de carvão (AMD), o maior poluidor da água na Pensilvânia, de acordo com o comunicado, é formada quando a chuva ou neve encontra os depósitos de carvão residual ricos em enxofre. Como resultado, a vida aquática próxima a esses locais é ameaçada porque a AMD escorre e contamina riachos e rios próximos.

As usinas de geração de energia da Stronghold buscam restaurar a usabilidade de áreas geográficas que foram anteriormente danificadas por resíduos de carvão e a formação inevitável de AMD. A fazenda de mineração pode atingir esse objetivo convertendo o carvão residual em energia e minerando Bitcoin. Segundo a empresa, são eliminados cerca de 200 toneladas de carvão residual para cada bitcoin extraído.

Com os investimentos adquiridos na captação, a Stronghold planeja empregar os últimos investimentos levantados para ter um impacto ambiental mais significativo na região. A empresa tem a meta de obter mais 28.000 máquinas (ASICS) de mineração bitcoin em operação até o final de 2021. 


Para se manter atualizado, siga a QR Capital no Instagram e no Twitter

Quer aprender a investir em criptoativos na bolsa, de forma prática e inteligente? Nós preparamos um curso gratuito com o passo a passo. Clique aqui para acessar.