Participe da
Comunidade Ícone Whatsapp
Blockchain

9 mitos do Bitcoin desmentidos pela Fidelity

Sobre ser um meio de pagamento efetivo, o relatório reconhece as limitações da moeda digital em termos de capacidade e custo de transações. Mas ressalta que estas são trocas intencionais para garantir descentralização e imutabilidade.

Em um relatório recente, a Fidelity Digital Assets, braço de criptoativos da gigante financeira Fidelity Investments, rebateu nove críticas ao Bitcoin. A gestora afirma que existem nove mitos que cercam a criptomoeda e que podem ser facilmente refutados.

Assim, a Fidelity destaca a resiliência da criptomoeda, bem como seu potencial no cenário financeiro digital. Na primeira delas, a Fidelity argumenta que a volatilidade do Bitcoin é um subproduto de um mercado livre de intervenções e manipulações.

Faça parte da Comunidade BLOCKTRENDS PRO e lucre em cripto com relatórios semanais, análises diárias, sinais e lives exclusivas.

A empresa sugere que a inelasticidade da oferta do Bitcoin, limitada a 21 milhões de moedas, é uma característica que promove a verdadeira descoberta de preços. Apesar das flutuações.

Sobre ser um meio de pagamento efetivo, o relatório reconhece as limitações da moeda digital em termos de capacidade e custo de transações. Mas ressalta que estas são trocas intencionais para garantir descentralização e imutabilidade.

A Fidelity vê o Bitcoin como mais adequado para transações de alto valor, onde a segurança é primordial. Ademais, a Fidelity rebate a noção de que o Bitcoin é prejudicial ao meio ambiente, apontando que a maioria da mineração é feita através de fontes renováveis ou energia que seria desperdiçada.

A empresa defende que a segurança e funcionalidade da rede justificam o consumo de energia do Bitcoin. A Fidelity insinua, sem uma resposta direta, que as propriedades únicas do Bitcoin são difíceis de replicar, sugerindo que a criptomoeda manterá sua posição dominante mesmo com o aumento da concorrência.

O relatório aborda a crítica de que o Bitcoin não é respaldado por nada, argumentando que, assim como outras moedas, seu valor vem da confiança e do consenso entre seus usuários, além de suas características técnicas distintas.

Incertezas e regulação

A Fidelity também reconhece a possibilidade de bugs no código do Bitcoin, mas destaca a comunidade ativa de desenvolvedores que trabalha continuamente para garantir a segurança e a robustez da rede.

A Fidelity vê a regulamentação crescente como um indicativo de que o Bitcoin está sendo adotado e reconhecido por seu valor. Embora a incerteza regulatória possa ser um obstáculo, a regulamentação adequada pode facilitar a integração da criptomoeda no sistema financeiro tradicional.

O relatório reconhece que o interesse no ativo não está garantido. A Fidelity destaca que a adoção depende da valorização contínua de suas propriedades únicas pelos usuários e investidores.

Por fim, a Fidelity afirma que existem incertezas quanto ao Bitcoin, mas observa que isso é comum a todas as tecnologias e investimentos. A empresa enfatiza que, apesar dos riscos desconhecidos, o potencial do Bitcoin permanece significativo.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de traders de criptomoedas. Acesse ByBit.com

Notícias relacionadas



Trader faz US$ 6.500 virar US$ 5,6 milhões com criptomoedas meme do Trump após ele falar bem do mercado “O único defensor do livre mercado no mundo é bizarramente da Argentina”, diz ex-gestor de George Soros Instituto mobiliza BTG e Starlink, de Musk, para garantir internet em meio a enchentes no RS Bybit começa a oferecer renda passiva em dólar descentralizado Baleia de Bitcoin acorda após 10 anos e move US$43,9 milhões que comprou por US$2 dólares